“Estórias do Minho – Narrativas no Feminino de uma Geografia Identitária”

Ciclo de Conferências arrancou em Vila Verde

Arrancou hoje, dia 12 de fevereiro, em Vila Verde, o Ciclo de Conferências “Estórias do Minho – Narrativas no Feminino de uma Geografia Identitária” no âmbito do projeto âncora “PA2. Touring Cultural – Identidade Cultural do Minho”, cofinanciado pelo Norte 2020 e que está ser desenvolvida pelo Consórcio Minho Inovação, que integra as três Comunidades Intermunicipais do Alto Minho, Cávado e Ave.

A primeira conferência, realizada na Casa do Conhecimento, em Vila Verde, subordinada ao tema Uma arte de bordar por “Aquelas Mulheres do Minho”, pretendeu constituir um momento de reconhecimento do trabalho desenvolvido pelas mulheres (artesãs) que bordam os Lenços de Namorados e que assim ajudam a manter viva a identidade cultural da região do Minho.

A conferência contou com a participação de um reputado painel de investigadores, constituído por Ana Pires, investigadora na área do Bordado, Jean-Yves Durand e Micaela Ramon, ambos docentes na Universidade do Minho nas áreas da Antropologia e da Literatura Portuguesa, e Isabel Maria Fernandes, diretora do Museu de Alberto Sampaio, do Paço dos Duques e do Castelo de Guimarães / DRCN.

Houve ainda um momento musical, interpretado pela Academia de Música de Vila Verde e a performance teatral “ Lenços Damore” pelo Grupo de Teatro Itinerantenredo.

Neste Ciclo de Conferências que percorrerá os 24 municípios do Minho, pretende-se valorizar um olhar inovador sobre a herança cultural do Minho rememorada no feminino, enquanto sociedade de forte tradição matriarcal, propiciando uma narrativa congregadora de saberes e valores identitários que importam estudar, conhecer, cuidar, preservar, valorizar e divulgar.

Para estas conferências serão convidadas personalidades académicas com trabalho de investigação de grande relevo na área em análise – Identidade Cultural do Minho. A organização pretende, além de fornecer aos participantes os conteúdos sobre os temas propostos, promover para uma experiência identitária do território, através da dinamização de um momento cultural ligado a cada uma das conferências.

A participação nestas sessões é gratuita, sendo de assinalar, no caso de professores, a possibilidade de poderem vir a ser acreditadas como ações de curta duração (3h).

Partilhar esta notícia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *