Autogolo dá vitória ao Vilaverdense num jogo com muita luta e pouca inspiração

O Vilaverdense FC, que tem vindo a ter uma excelente prestação no Pró-Nacional e após mais uma vitória fora do seu terreno na 23ª Jornada em Vizela por 0-3 frente ao Santa Eulália, recebeu no passado domingo no seu reduto os bracarenses de S. Paio D’Arcos.

Foi um jogo carregado de ambição e de motivação, uma vez que, em caso de vitória, poderia chegar ao segundo lugar da tabela classificativa já que o seu mais direto adversário, o Brito, tinha perdido por 2-0 em Pevidém.

O Vilaverdense acabaria por sair vitorioso desta partida com um autogolo de Paulinho aos 17m, numa jogada rápida do ‘Vila’ com Romário a dar na esquerda e a servir Edu, com este a rematar e Paulinho a desviar para a sua baliza e a trair o seu guardião Alex.

Estava, assim, feito o 1-0 para o Vilaverdense, num jogo em que os ‘homens de verde’ entraram bem, a pressionar alto logo nas saídas e a serem superiores ao seu adversário até a altura do golo.

Depois do golo, a ambição e motivação que reinava nos homens de Hugo Santos parece ter-se tornado em pesadelo, com o ‘Vila’ algo desconcentrado e a deixar que os bracarenses tomassem o controlo do jogo até final da primeira parte e poderiam mesmo ter saído em vantagem, não fosse a ineficácia quer de Matias e depois de Paulinho frente ao guardião Paulinho.

Na segunda parte do jogo o ‘Vila’ volta a entrar mais macio e, fruto disso, o Arcos parte em busca do empate e logo aos 68m Paulinho volta a falhar na cara do guardião vilaverdense: remata fora do alcance deste com a bola a passar rente ao poste.

Seguiu-se um período de mau futebol por ambas as equipas, com muita luta no meio campo, iam-se perdendo algumas oportunidades de golo pela ineficácia dos intervenientes, mas sempre com o Arcos mais forte e a causar muitos calafrios à equipa do ‘Vila’, muito confusa e que não conseguia impor o seu futebol. Eram muitos os erros nos passes, sem controlo de bola e falta de combinação entre os setores.

O jogo chegaria ao fim com muita luta mas com poucos golos, o que se traduziu numa muito fraca partida de futebol e que valeu apenas pelos três pontos conquistados pelo Vilaverdense.

Disso mesmo nos deu conta, no final do jogo, o técnico do Vilaverdense Hugo Santos: “Jogo valeu pelos três pontos, foi melhor o resultado que a exibição. Defrontamos um adversário muito descomplexado, um adversário que jogou o jogo pelo jogo, que nos obrigou a defender muito mais do aquilo que esperávamos. Mas sabíamos que o adversário tem muita qualidade individual. Conseguimos concretizar na primeira oportunidade que tivemos e isso foi o momento chave. Foi um jogo que valeu pela conquista dos três pontos, vamos tirar ilações da nossa exibição mas o nosso objetivo principal foi alcançado. Em algumas saídas que tivemos, nunca conseguimos controlar o jogo da forma como queríamos. Agora vamos descansar e preparar o próximo jogo”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *