CIM do Cávado “preocupada e apreensiva” com falta de limpeza das matas

O presidente da Comunidade Intermunicipal do Cávado (CIM) mostrou hoje “preocupação e apreensão” com a falta de limpeza das matas em consequência do estado de emergência, salientando “que se entende” a canalização de recursos para combater o novo coronavírus.

O também presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio, lembrou que o prazo para a limpeza das matas terminou a 15 de março mas que uma vez que o controlo “não pode ser feito por falta de meios”.

O autarca lembrou ainda que “não cabe às autarquias a fiscalização e limpeza das matas, a não ser em caso dos particulares não o fazerem, sendo que depois esse serviço lhes é cobrado”, mas que mesmo que fosse competência direta dos municípios essa limpeza não podia ser assegurada.

“Além da falta de meios para fiscalizar, não nos podemos substituir aos particulares porque as empresas que normalmente são contratadas para isso, elas mesmo não estão a funcionar. Logo não há nem meios financeiros, nem humanos”, referiu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *