O inédito caso do Vietname, tinha tudo para correr mal, mas continua com zero mortes

O Vietname é um país em desenvolvimento, que possui uma grande fronteira terrestre com a China e uma população de 97 milhões de pessoas, mas ainda não relatou uma única morte por coronavírus.

A 21 de abril, o país havia relatado 268 casos de covid-19, com mais de 140 pessoas a recuperarem completamente.

A razão pela qual o Vietname conseguiu manter os pacientes à porta da morte é uma estratégia do Governo em três frentes distintas. Embora essas escolhas políticas possam não ser consistentes com a defesa das liberdades civis, elas estão a mostrar-se essenciais para manter a pandemia sob controlo.

Triagem e testes de temperatura

A partir de fevereiro, qualquer pessoa que chegasse ao aeroporto de uma grande cidade vietnamita precisava de passar por uma triagem compulsória de medição da temperatura corporal e preencher uma autodeclaração de saúde, informando os seus dados de contacto e histórico de viagens e saúde.

Agora, estas medidas são obrigatórias para todos os que entram nas principais cidades e algumas províncias por terra e para todos que entram num edifício governativo ou hospital.

Qualquer pessoa com temperatura corporal acima de 38°C é levada ao centro médico mais próximo para testes mais detalhados. Aqueles que comprovadamente mentiram na sua autodeclaração, ou que resistem a declarar completamente, podem ser acusados criminalmente.

Também houve testes intensivos por todo o país. Foram instaladas estações de teste nas cidades, nas quais todos os cidadãos podem participar. As comunidades que vivem perto de casos confirmados são rapidamente testadas e colocadas em confinamento.

A 5 de março, o Vietname tinha validado três kits de teste diferentes, cada um a custar menos de 25 dólares e produzindo resultados em 90 minutos. Tudo isto está a ser fabricado no Vietname. O custo dos testes é importante em todos os lugares, mas é particularmente importante em economias emergentes como o Vietname e estes kits de teste acessíveis ajudaram a estratégia intensiva de testes do Governo.

Confinamentos direcionados

O segundo ponto da abordagem do Vietname é a quarentena e os confinamentos. Desde meados de fevereiro, o povo vietnamita que volta para casa do exterior fica em quarentena durante 14 dias na chegada e faz o teste para a covid-19.

A mesma política de quarentena foi aplicada aos estrangeiros que vieram para o Vietname. Qualquer pessoa que tenha entrado em contacto direto com uma pessoa infetada, cujos detalhes sejam divulgados, é incentivada a entrar em quarentena. Se for descoberto que alguém entrou em contacto com alguém que deu positivo, eles serão colocados em quarentena obrigatória.

Em março, o Vietname começou a pôr cidades inteiras em quarentena. Viajar entre cidades agora é altamente restrito. Em Danang, no centro do Vietname, qualquer pessoa que não seja um residente registado da cidade, mas deseje entrar, deve submeter-se a uma quarentena de 14 dias numa instalação aprovada pelo Governo.

Aldeias de 10.000 pessoas foram cercadas por conta de casos únicos. Bach Mai, um famoso hospital de 3.200 pessoas em Hanói, que também é um dos principais centros de tratamento covid-19, foi fechado no final de março após um membro da equipe contratado externamente ter testado positivo. Empresas, estatais e privadas, são fechadas, e os setores de turismo e companhias aéreas são essencialmente congelados.

Comunicações constantes

Desde o início de janeiro, o Governo vietnamita comunicou amplamente aos cidadãos sobre a gravidade do coronavírus. As comunicações foram claras: a covid-19 não é apenas uma gripe má, mas algo a ser levado extremamente a sério; portanto, as pessoas são aconselhadas a não arriscarem a sua vida ou a de outras pessoas.

O Governo tem sido criativo nos seus métodos de comunicação. A cada dia, diferentes partes do Governo vietnamita enviam informações aos cidadãos. Detalhes sobre sintomas e medidas de proteção são comunicados via texto para telemóveis em todo o país. O Governo também fez parceria com plataformas de mensagens para distribuir atualizações.

Isto é associado à arte da propaganda em todo o país e aos carimbos que disseminam ainda mais as mensagens de saúde pública sobre o vírus. As cidades do Vietname são enfeitadas com pósteres que lembram os cidadãos do seu papel de impedir a propagação do vírus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *