25 de Abril: PS de Vila Verde destaca os sonhos e ameaças de Abril

O discurso ‘virtual’ do PS de Vila Verde, divulgado publicamente, traz para a luz do dia os sonhos e as ameaças de Abril. Pela escrita de Samuel Estrada, Presidente da concelhia socialista, são elencadas quatro ameaças para que “a democracia, a liberdade e os sonhos de Abril” ainda não tenham “totalmente sido alcançados” nem, tão pouco, sejam “um direito adquirido”.

A corrupção, “uma das maiores pragas da democracia é fonte de degradação da vida pública, descrédito das instituições, erosão do carácter, desmoralização e de descrença da classe política e da própria democracia. O combate à corrupção merece por isso a nossa atenção inteira e dedicação absoluta”.

A liberdade de imprensa e de expressão onde se sente “a imprensa algemada a linhas editoriais ocultas e condicionadas por grupos económicos a nível nacional e ao nível local a um sistema de dependência da ‘ordem estabelecida’ que a alimenta miseravelmente”.

A degeneração dos partidos que “são essenciais a uma democracia porém desde cedo foram substituindo as convicções pelas ambições. Uma vez no poder, os partidos voltam a adiar os seus ideários e caem numa nova tentação: a luta pela sua manutenção”.

A quarta ameaça são os ventos populistas “ animados pela eleitoralismo e pela demagogia primária esquecendo o bem comum e vivendo para agradar, para caçar likes e partilhas nas redes sociais, para a popularidade, para a mentira”.

Samuel Estrada que “tristemente” lamenta que as comemorações em Vila Verde se tenham “limitado ao hastear da bandeira”, considera que há “redobradas razões para assinalar com entusiasmo o momento em que pusemos termo à ditadura que condenou Portugal e os portugueses à miséria, ao isolamento, ao analfabetismo e ao obscurantismo do medo”.

A finalizar, o líder do PS de Vila Verde exorta “os vilaverdenses para que continuem a exercer a liberdade e a cidadania. Não apenas a liberdade formal mas também a efectiva, aquela que se faz sem medo do (des)emprego, da licença, do subsídio, do muro, do amigo, da promessa”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *