Crianças com mais de seis anos vão ter de usar máscara nos estabelecimentos educativos

A diretora-geral da Saúde anunciou que as crianças com mais de seis anos terão de utilizar máscaras nos estabelecimentos educativos.

Graça Freitas, confirmou que estão a decorrer trabalhos, em parceria com o Ministério da Saúde e da Educação, “para programar de forma segura a continuação das atividades letivas”, cita o jornal online Observador.

Já foi decidido que nas creches “vai haver um plano de testagem dos educadores” e, “obviamente, serão utilizados meios de proteção individual nas crianças acima dos seis anos de idade e de todos os adultos que vão cuidar delas”, disse a responsável.

Graça Freitas referiu que haverá “um plano específico para cada idade”, mas “é muito importante, sem grande necessidade de mecanismos extraordinários, o reforço da limpeza de equipamentos e superfícies para prevenir a contaminação por via indireta”.

A diretora-geral da Saúde disse ainda que vai haver um reforço da monitorização dos contactos dos doentes de covid-19. “Agora que estamos a falar de uma nova fase epidémica terá que haver um reforço da monitorização”, disse.

Segundo a responsável, esse reforço da monitorização será feito com recurso aos métodos tradicionais, em que as autoridades procuram à volta de um caso as pessoas com quem esteve em contacto, mas também com recurso à plataforma Trace Covid, para acompanhamento de doentes com suspeita ou confirmação da doença.

A diretora-geral de saúde apelou ainda a pessoas que estiveram em contacto com doentes covid-19 para também contactarem a linha SNS 24. “A partir daqui as autoridades de saúde confirmarão a história epidemiológica e se constitui verdadeiro contacto e de alto, médio ou baixo risco”, afirmou Graça Freitas.

Segundo a responsável, esta intensificação da vigilância epidemiológica dos casos acontece quando se sabe que com o gradual desconfinamento vão aumentar os contactos entre pessoas pelo que há “risco maior” de contágio do que antes.

Na sexta-feira, o Governo tinha anunciado que cerca de 29 mil trabalhadores de mais de duas mil creches vão ser testados ao novo coronavírus num programa nacional de rastreio que se inicia este sábado.

Na mesma conferência de imprensa, a ministra da Saúde, Marta Temido, anunciou que o número de infetados sofreu uma correção, descendo de 25.351 para os 25.190, justificando-se com o facto de ter havido “casos duplicados que não eram verdadeiros”.

Partilhar esta notícia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *