Solidariedade a três mãos elaboram máscaras ‘certificadas’ para os mais carenciados em Vila Verde

Um projeto que liga um casal de fotógrafos a uma artesã de Vila Verde está a elaborar máscaras ‘certificadas’ para entregar à população mais carenciada. A ideia partiu de Luís Gonçalves e da esposa que lançaram o desafio a Vera Cancela. Ele cede o material, a esposa faz o corte e Vera cose as peças.

As máscaras são feitas com algodão 100% e revestidas com TNT a 80g por metro. “Cumprem as regras da certificação mas não são, oficialmente, certificadas porque o processo custa dinheiro e este é um projeto que se pretende voluntário e solidário”, refere a artesã ao ‘Terras do Homem’.

Uma primeira remessa de 90 máscaras já foram entregues e mais 100 estarão prontas nos próximos dias.

Vera Cancela lembra que “o que está escrito é estas máscaras terem, no mínimo, 60g por metro e nós fomos mais longe e pusemos 80g”. Por isso, “com a máscara posta quem tentar não consegue apagar um isqueiro”. A artesã desinfeta as mãos a cada meia hora.

Antes da confecção das máscaras, o tecido é escaldado e depois de feitas são embaladas em saquinhas, fechadas hermerticamente. Cada máscara aguenta até 50 lavagens, sobretudo, se forem feitas à mão.

Partilhar esta notícia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *