Sete idosos de volta ao Lar do Trabalhador em Prado e cinco aguardam na Casa Paroquial

Os doze idosos do Lar do Trabalhador de Prado que no dia 18 de abril foram transferidos, a título provisório, para o Centro Comunitário da Cruz Vermelha de Prado, já deixaram as instalações. Sete regressaram à instituição enquanto os cinco, aguardam resultados dos segundos exames à Covid-19, estão ainda na Casa Paroquial de Prado. À medida que testam negativo regressam ao Lar do Trabalhador.

Dos cinco utentes do lar que aguardam os resultados, quatro são mulheres e um é homem. No total, o Lar do Trabalhador tem seis utentes homens e seis utentes mulheres.

Em fase de recuperação estão doze funcionárias e uma enfermeira, prestadora de serviços na instituição.

Os sete idosos curados têm todos mais de 70 anos de idade e já voltaram à moradia que desde finais de 1977 acolhe uma valência para idosos. Recorde-se que ligada ao Lar do Trabalhador há uma creche, em instalações à parte, no Largo do Faial.

Ao ‘Terras do Homem’, os primeiros sete utentes a regressarem ao Lar do Trabalhador de Prado mostraram-se “muito satisfeitos com o regresso”. As instalações foram descontaminadas, enquanto estavam no Centro Comunitário da Cruz Vermelha, por uma equipa especializada do Núcleo de Matérias Perigosas da Unidade de Emergência de Proteção e Socorro (UEPS) da GNR, uma valência operacional que integra cerca de 60 militares, especializados em Matérias Perigosas e Agentes NRBQ (Nucleares, Radiológicos, Biológicos e Químicos).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *