Bloco de Esquerda preocupado com o uso de glifosato em Braga

A associação ambientalista Quercus retirou o município de Braga do manifesto ‘Autarquias sem Glifosato’ que o município havia subscrito em 2016.

A retirada do município da lista de autarquias livres de glifosato surge depois de a Quercus ter recebido denúncias sobre a aplicação do herbicida em Braga. Quando confrontado com a situação, o Vereador do Ambiente escusou-se, dizendo que é a empresa municipal Agere a responsável pela aplicação de glifosato no concelho.

A Quercus esclarece que a subscrição do manifesto abrange as autarquias “quer diretamente, quer através de empresas concessionárias”.

Após ter alertado a Câmara de Braga para a violação do manifesto, e não tendo os alertas evitado que o município prosseguisse com a aplicação do herbicida, a Quercus viu-se obrigada a retirar o município da lista de autarquias sem glifosato.

O Bloco de Esquerda entende que a Câmara de Braga deve explicar aos bracarenses os motivos que levaram a este retrocesso e que põe em risco a saúde pública, os animais e o ambiente.

O uso de glifosato é proibido por lei em espaços públicos como jardins de infância, hospitais ou parques urbanos. A Câmara de Braga deve esclarecer em que locais e em que condições está a ser aplicado glifosato.

O Bloco de Esquerda considera que havendo dúvidas sobre a toxicidade e perigosidade de um produto fitofarmacêutico, o princípio da precaução deve imperar e os produtos não devem ser utilizados.

Partilhar esta notícia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *