NACIONAL

O que muda nos santos populares com a pandemia

Numa altura em que a região de Lisboa trava uma luta intensa com a covid-19, impõe-se várias restrições à celebração do Santo António. No Porto, apela-se ao civismo durante as festas do São João.

A Câmara Municipal de Lisboa aprovou, esta terça-feira, uma série de regras para celebrar o Santo António numa altura em que a capital portuguesa é um dos principais focos de covid-19 do país. As medidas entram em vigor esta quarta-feira e prolongam-se até às 10:00 de domingo.

O Diário de Notícias teve acesso ao despacho no qual se determina “a proibição de atividades que originem a aglomeração de pessoas, nomeadamente festas, jantares-convívio e celebrações, à semelhança dos arraiais, cuja realização já se encontra proibida”. Numa semana com os feriados do Dia de Portugal na quarta-feira, Corpo de Deus na quinta-feira e Santo António no sábado, há muitas regras a cumprir.

Está também estipulada a proibição da venda de bebidas alcoólicas nas lojas das estações de serviço, entre as 16:00 e as 10:00 do dia seguinte. As lojas de conveniência lisboetas vão sofrer uma “restrição no horário de funcionamento”, aplicada “a partir das 16:00 e até às 08:00 do dia seguinte”.

Por sua vez, estabelecimentos que não tenham o Código de Atividade Económica (CAE), como cafés e pastelarias, vão ter uma “restrição do horário” a partir das “19:00 e até às 08:00 do dia seguinte”.

Restaurantes, cafés, tabernas e cafés que tenham CAE, como casas de fado, vão ter restrições “a partir das 00:00 e até às 08:00 do dia seguinte, sem prejuízo de a partir das 23:00 não ser permitida a admissão de clientes”.

“Cadeiras, mesas e equipamentos de exposição e confeção de alimentos, nomeadamente grelhadores, assadores e fogareiros” estão proibidos durante o resto desta semana, assim como a expansão da área da esplanada.

Caso não sejam cumpridas estas regras, a autarquia prevê “o encerramento dos estabelecimentos e a cessação das atividades”.

São João sem transportes

Esta terça-feira, conselheiros, responsáveis pelos transportes, autoridades de saúde e representantes dos partidos reuniram-se para discutir o desconfinamento da cidade do Porto. A celebração do São João foi um dos temas abordados na reunião.

“Na noite de São João não haverá transportes, não haverá música nas ruas que estarão a funcionar normalmente, mas como fiscalização e policiamento reforçados“, escreveu a Câmara Municipal do Porto numa nota publicada no site oficial, citada pelo JN. O consenso foi que “não pode haver facilitismo” nas festividades do São João.

O presidente da câmara Rui Moreira apelou a que “as sardinhas sejam comidas em família e que não se estrague, numa noite, o admirável exemplo de civismo que os portuenses têm dado ao país”.

“Hoje não estamos em estado de emergência e esperamos não estar no dia 23 de junho. Mas sendo assim não podemos impedir as pessoas de circular e não podemos tentar impor medidas que as pessoas não cumprem e que não podemos obrigá-las a cumprir”, explicou ainda.

ZAP //

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *