MEDIDAS GERAIS DE PREVENÇÃO E CONTROLO DA COVID-19 nas atividades diárias

A doença pelo novo coronavírus (COVID-19) foi identificada no final do ano 2019. Como doença recente que é, e apesar de algum desconhecimento, são conhecidas as principais características da doença que permitem perceber a importância e razão das medidas preventivas a adotar.
No atual contexto, o levantamento das restrições aumenta a responsabilidade individual e coletiva. O SARS-CoV-2 circula na comunidade, e esta nova fase exige de cada cidadão um rigor acrescido no cumprimento das medidas preventivas e de Saúde Pública, nomeadamente no âmbito da higiene ambiental, como a limpeza e desinfeção.

DESINFEÇÃO DOMÉSTICA. A lixívia é um desinfetante doméstico forte, cujo principal ingrediente é o hipoclorito de sódio, que é eficaz a eliminar o SARS-CoV-2. A sua utilização deve ser cuidadosa:
– Deve ser diluída em água fria, uma vez que a água quente a torna ineficaz e facilita que passe da sua forma líquida a gasosa, promovendo a libertação de gases tóxicos;
– Aplicar lixívia ou qualquer outro produto conforme o recomendado na ficha de segurança do produto, nomeadamente abrir as janelas para arejar e renovar o ar, evitando inalar a lixívia e o contacto com os olhos e a pele, ajudando também a secar mais rapidamente;
– A desinfeção com lixívia é importante em locais onde houver a presença de uma pessoa com COVID-19: diluir 4 colheres de chá lixívia (concentração original de 5%) em 1 litro de água;
– Todas as superfícies podem ser veículos de contágio. No entanto, o risco varia consoante a sua frequência de manipulação, toque ou utilização:
. Limpar e descontaminar as zonas de contacto frequente (maçanetas das portas, corrimões, interruptores de luz, comandos ou teclados);
. Descontaminar com regularidade as áreas de confeção de alimentos e instalações sanitárias;
. Efetuar a limpeza sempre no sentido de cima para baixo e das áreas mais limpas para as mais sujas;
. Lavar com detergente de uso doméstico e depois aplicar lixívia diluída em água, deixar atuar 10 minutos. Quando não existem coabitantes infetados, não é estritamente necessário utilizar lixívia;
. No caso de telemóveis, computadores ou outros aparelhos similares, deve consultar as indicações do fabricante do telemóvel;

LAVAGEM DA ROUPA. Ainda não há certeza sobre o tempo de sobrevivência do SARS-CoV-2 nos diferentes materiais da roupa. Contudo existem cuidados para prevenir a possível transmissão através destes meios.

A necessidade de descontaminar a roupa, impõem-se nos seguintes casos:
– Doente com COVID-19 e/ou cuidador de pessoas doentes com COVID-19;
– Profissional de saúde;
– Outras pessoas que possam ter estado em contacto com pessoas/superfícies contaminadas.
Nestas situações, quando colocar a roupa para lavar, deve:
– Evitar sacudir a roupa suja;
– Ler com atenção as indicações na etiqueta da roupa, para saber os cuidados que deve ter;
– Lavar preferencialmente na máquina, com a maior temperatura possível (pelo menos a 60ºC durante 30 minutos, ou entre 80-90ºC, durante 10 minutos);
– Na impossibilidade de lavar a altas temperaturas, use um produto desinfetante próprio para roupas (como por exemplo, lixívia). Existem produtos desinfetantes próprios para roupas com cor.

TRATAMENTO DE RESÍDUOS. Existem cuidados específicos a ter com os resíduos que produz, se for caso confirmado ou suspeito de COVID-19:
– Utilizar um caixote do lixo com tampa de abertura não manual (ex: com pedal).
– Ter um saco de plástico dentro do caixote. Este saco deve ser cheio até no máximo 2/3 da sua capacidade;
– Fechar bem o saco de plástico (com um atilho ou adesivo). O primeiro saco de plástico deve ser colocado dentro de um segundo saco, igualmente bem fechado;
– Os resíduos nunca devem ser calcados, nem deve apertar o saco para sair o ar;
– Limpar e desinfetar os caixotes do lixo com regularidade;
– Descartar em contentores coletivos de resíduos urbanos, após 24 horas da sua produção (nunca no ecoponto).

SISTEMAS DE VENTILAÇÃO E AR CONDICIONADO. Que medidas?
– Em espaços fechados, deve abrir as portas ou janelas para manter o ambiente limpo, seco e bem ventilado;
– Caso não seja possível, deve estar assegurado o funcionamento eficaz do sistema de ventilação, assim como a sua limpeza e manutenção:
. Mantenha os locais ventilados (pelo menos, 6 renovações de ar por hora), abrindo janelas e/ou portas;
. Se necessitar de usar um sistema de ventilação de ar forçado, assegure-se que o ar é retirado diretamente do exterior e não ative a função de recirculação do ar;
. Os sistemas de ventilação e ar condicionado devem ser sujeitos, de forma periódica, a limpeza e desinfeção;
. É recomendado que desligue a função de desumidificação, do sistema de ventilação e ar condicionado;
. Deve reforçar a desinfeção do reservatório de água condensada e da água de arrefecimento das turbinas do ventilador.

Estamos todos convocados para esta nova realidade porque “todos somos agentes de saúde Pública”

Bibliografia
Direção de Serviços de Prevenção da Doença e Promoção da Saúde (2020, maio). SÁUDE E ATIVIDADES DIÁRIAS Medidas gerais de prevenção e controlo da COVID-19. Lisboa: Direção-Geral da Saúde

Alice Magalhães
Especialista Enfermagem Comunitária e de Saúde Pública
Unidade de Saúde Pública
ACeS Cávado II – Gerês / Cabreira

Partilhar esta notícia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *