Terceira morte em três semanas na Albufeira da Caniçada em Terras de Bouro (com vídeo)

A Albufeira da Caniçada, em Terras de Bouro, foi palco, em três semanas, de três mortes.

A situação está a preocupar as autoridades locais com especial incidência do presidente da câmara de Terras de Bouro. Ao ‘Terras do Homem’, Manuel Tibo diz que “se tem desdobrado em contactos e visitas, ao terreno, com todos os membros do Governo que mais diretamente superintendem esses domínios para tentar encontrar soluções”.

Ontem um jovem de Oliveira Santa Maria, Vila Nova de Famalicão, morreu afogado, na Albufeira da Caniçada, assim que deu o primeiro mergulho, ao fim da manhã.

Foi encontrado a meio da tarde, a 14 metros de profundidade, muito próximo das margens do Rio Gerês.

É o terceiro caso mortal ocorrido desde agosto naquela zona fluvial, cuja tutela é repartida pela EDP e a Agência Portuguesa do Ambiente (APA), não tendo a Câmara Municipal de Terras de Bouro qualquer competência legal sobre o areal.

Fernando Henrique Azevedo, de 20 anos, chegou quarta-feira de manhã a uma estância turística, com um grupo de amigos.

Como disse o comandante das operações de socorro, Lino Oliveira, segundo-comandante dos Bombeiros Voluntários de Terras de Bouro, o corpo do jovem foi encontrado cerca das 16h20, a 20 metros da margem e a uma profundidade de 14 metros, tendo sido enviado para o Gabinete Médico-Legal e Forense do Cávado, em Braga, a fim de ser autopsiado.

No local estiveram elementos da Delegação de Rio Caldo da Cruz Vermelha Portuguesa e Bombeiros Voluntários de Terras de Bouro, Vizela, Amares, Taipas, Fão, Famalicenses e Barcelinhos, além da Unidade de Emergência de Proteção e Socorro (UEPS) da GNR e do Posto Territorial da GNR da Vila do Gerês, sob o comando do 1º Sargento Gonçalves.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *