JSD de Braga esteve reunida com presidente da Câmara de Amares

A Distrital da JSD de Braga reuniu com a Câmara Municipal de Amares, no âmbito da sua iniciativa que pretende analisar a realidade de vida dos jovens do distrito.

Nesta reunião e em matéria de medidas de apoio à Juventude, o Presidente de Câmara “ressalvou a forte aposta do município na educação por entender ser esse o maior apoio que a autarquia pode prestar aos seus jovens, destacando ainda gratuitidade dos transportes desde o ensino pré-escolar até ao 12º ano, a oferta dos livros de atividades aos alunos do primeiro ciclo, a atribuição de bolsas de estudo aos alunos do ensino médio e superior e a premiação do mérito dos alunos através de concursos como o Concurso Sá de Miranda – concurso literário promovida entre o Agrupamento de Escolas de Amares e autarquia – ou os prémios ISAVE”, revelou no final da reunião, o presidente da distrital da JSD, Cristiano Pinheiro.

O autarca “destacou ainda o bom trabalho da vereação da Juventude e Desporto no apoio às associações desportivas com escalões de formação”.

Dos temas levados à discussão, o Presidente de Câmara identificou como principal dificuldade dos jovens de Amares, “a entrada no mercado de trabalho, principalmente para recém-licenciados à procura de ofertas de emprego na sua área de especialização”.

“A escassez na oferta de postos de trabalho especializado são, na opinião do autarca, fruto da desigualdade verificada entre os territórios do interior e os grandes centros urbanos no caso de Amares, agravada pelo facto de, apesar de ser um concelho pequeno, não ser considerado um concelho de baixa densidade o que o limita a captação de novas empresas em matéria fiscal”, referiu Cristiano Pinheiro.

O Presidente de Câmara considerou ainda que “esta dificuldade é ainda fruto de uma profunda necessidade de reformulação do sistema de ensino em Portugal que deverá passar, entre outros, pelo maior investimento no ensino profissional, diversificando a sua oferta educativa e ajustando-a ao tecido empresarial dos territórios onde estão fixados os estabelecimentos de ensino profissional”.

Na sua opinião, “a oferta educativa profissional a que os jovens amarenses têm acesso não se coaduna com as necessidades e especificidades das empresas locais”.

Cristiano Pinheiro disse ainda que, no que toca à participação dos jovens na política, o autarca “considerou que apesar da relação de cordialidade e amizade que se orgulha de ter com os jovens amarenses, principalmente dos muitos com que se cruzou na sua carreira de professor, tem verificado um afastamento progressivo destes em relação às lides políticas e partidárias em virtude, principalmente, dos maus exemplos dos agentes políticos mais velhos e dos frequentes escândalos tornados públicos nos últimos anos em que estes se vêem envolvidos. um problema transversal a todas as estruturas cívicas e ou partidárias”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *