Centro médico D. Filomena em Amares com mil pessoas por mês

O início do funcionamento do Centro Médico Dona Filomena, da dependência da Misericórdia, não foi fácil, “com muitas vozes críticas”. Hoje, Álvaro Silva não tem dúvidas que “o tempo está a dar-nos razão: temos uma média de 1000 pessoas por mês nas mais diferentes especialidades e na fisioterapia”.

Com acordos com praticamente toda a gente, inclusive ADSE, o provedor lamenta que “o acordo com o SNS ainda não esteja concluído. Toda a gente deu aval positivo, mas ainda não há fumo branco”. Álvaro Silva lembra que “o acordo irá permitir poupanças ao nível dos transportes de doentes e é fundamental para quem não tem condições financeiras”.

Há mais de dois anos à espera, “é unânime a importância do Centro Médico e da resposta que dá aos seus utentes. Temos uma parceria com a Unilabs, por exemplo, que é exclusiva nos testes covid-19 e há testes específicos para grávidas que estamos a fazer que não existem nas redondezas”.

“É uma mais-valia e uma alavanca financeira para as outras valências e ainda bem que apostamos nisto porque é uma aposta ganha”.

Também a capela, fechada atualmente, vai ser alvo de uma intervenção. “Os tetos caíram”, reconhece o provedor. Uma candidatura à renovação de aldeias vai avançar e irá recuperar os telhados.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *