Não suporta ouvir as pessoas mastigar? Cientistas descobriram porquê

De acordo com um novo estudo realizado no Reino Unido, as pessoas que se sentem extremamente incomodadas com sons de mastigação ou respiração alta podem ter uma conexão cerebral “hipersensibilizada”.

A misofonia pode desencadear reações físicas ou emocionais intensas e negativas – muitas vezes vistas como exageradas pelas outras pessoas – a pequenos sons que a maior parte de nós não repara ou não dá significado, como o som de mastigar, de tossir ou de limpar a garganta.

Num estudo recente da Universidade de Newcastle, no Reino Unido, investigadores descobriram que as pessoas que sofrem de misofonia têm a conexão entre o córtex auditivo do cérebro e as áreas de controlo motor da boca, garganta e rosto aumentada.

“As nossas descobertas indicam que para pessoas com misofonia há uma comunicação anormal entre as regiões do cérebro auditivo e motor – poder-se-ia descrevê-la como uma conexão hipersensibilizada”, disse o autor principal do estudo, Sukhbinder Kumar.

“Esta é a primeira vez que tal conexão no cérebro é relacionada com esta doença”, acrescentou.

O gatilho para pessoas com misofonia são, por norma, sons orais e a reação pode ir desde um leve desgosto pela situação a ansiedade, pânico ou até vontade de fugir.

Segundo a Sky News, acredita-se que cerca de 6% a 20% das pessoas sejam afetadas por esta condição que, geralmente, aparece por volta dos 12 anos de idade – mais comummente em meninas.

Kumar explicou que a misofonia pode prejudicar a vida social das pessoas, os sintomas podem ser controlados e diminuídos através da imitação da ação que gera o som.

“Usar esse conhecimento pode ajudar-nos a desenvolver novas terapias para pessoas com a doença”, disse ainda.

O estudo foi publicado este mês no Journal of Neuroscience.

ZAP //

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *