Governo adia assinatura do contrato de concessão do Mosteiro de Rendufe em Amares

Estava marcada para a amanhã, a assinatura do contrato de concessão do Mosteiro de Rendufe, no âmbito do programa ‘Revive’ desenvolvido pelo Turismo de Portugal. A cerimónia foi adiada pelo Governo “tendo em conta o aumento de casos de infetados com Covid-19”, refere ao ‘Terras do Homem’, uma fonte oficial.

Segundo foi possível apurar, “há diretivas informais para que se voltem a reduzir as cerimónias públicas e essa indicação foi, inclusive, transmitidas às autarquias”. Apesar da situação no Vale do Homem estar estabilizada, a verdade é que as indicações do poder central são extensíveis a todo o território.

E quando as expetativas estão em alta, ainda não é desta que o ‘eterno’ e ‘complicado’ caso do Mosteiro de Rendufe vê um ponto final. Até porque a nova cerimónia não tem prazo definido. Este adiamento mantem as preocupações da Associação dos Amigos do Mosteiro de Rendufe: “toda a zona por cima do refeitório está em risco iminente de derrocada, como temos vindo a alertar”, refere o presidente ao ‘Terras do Homem’, José Antunes.

O ‘Terras do Homem’ sabe que não está descartada a hipótese da empresa vencedora tomar, desde já, posse do edifício começando a realizar alguns trabalhos de estabilização do Mosteiro, ficando a assinatura formal de cedência para um futuro próximo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *