Amares ficou de fora da assinatura do contrato para requalificação do Mosteiro de Rendufe

Nenhuma instituição pública ou privada do concelho de Amares esteve presença na cerimónia de assinatura do protocolo para a requalificação do Mosteiro de Amares. O ‘Terras do Homem’ sabe que a cerimónia decorreu, esta semana, entre a Secretaria de Estado do Turismo e a empresa que ganhou o concurso público, mas a Câmara não foi convidada. A data para a formalização do contrato era até amanhã.

Recorde-se que a assinatura do contrato de concessão esteve marcada para Amares, mas foi adiada pelo Governo “por causa do aumento dos casos Covid-19” que se verificou na altura. O argumento nunca convenceu o Presidente da Câmara.

Como nunca mais houve qualquer contacto oficial por parte do Governo, a Câmara de Amares questionou Rita Marques sobre a realização da cerimónia: “fomos informados que não haveria qualquer cerimónia e que o contrato ir ser assinado apenas entre a Secretaria de Estado do Turismo e a empresa que ganhou o concurso”. Uma resposta que não agradou a Manuel Moreira.

O autarca fez saber do seu desagrado pela forma como assunto foi tratado e ‘ameaçou’ fazer uma conferência de imprensa dando conta da assinatura do contrato e da ausência do Município. Na resposta, Rita Marques confirmou que o acordo já tinha sido assinado esta semana e prometeu fazer o lançamento da primeira pedra, numa cerimónia a marcar nos próximos dias.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *