Imagens de satélite revelam que Pequim está a construir base para helicópteros no Tibete

A China está a desenvolver uma rede de heliportos no planalto tibetano. As plataformas podem vir a ter grande utilidade em possíveis situações de crise.

De acordo com o site The Drive, que teve acesso a imagens de satélite, a China está a modernizar os seus heliportos nos aeródromos já existentes e está a construir novas instalações ao longo do planalto do Tibete.

O site de notícias sublinha que o rápido desenvolvimento deixa clara a expansão do poder aéreo chinês na fronteira ocidental, sobretudo nas áreas remotas do planalto do Tibete, de modo a movimentar rapidamente as suas tropas e elevar a sua capacidade de gestão logística em situações de perigo.

Em 2020, Pequim implantou o seu primeiro helicóptero utilitário Z-20 na região do Tibete. Nas imagens de satélite, reveladas pelo site The Drive, percebe-se que um grande heliporto também está a ser construído em Golmud, no limite norte do planalto.

Esta rede de grandes heliportos ao longo do planalto do Tibete pode ser fundamental numa crise. Ao todo 63 hangares individuais podem ser observados juntamente com a construção de quartéis e instalações de apoio.

Uma revisão de imagens de satélite anteriores indica que a construção do local começou no início de 2020 e está quase concluída. Golmud está situado numa zona que historicamente fazia parte do Tibete, mas que atualmente está situada em Haixi Mongol.

De notar que a região de Golmud é regularmente palco de exercícios do Exército de Libertação Popular (ELP) da China, já que está localizada em zonas de tensão com a Índia.

A região também abriga um entroncamento ferroviário que liga a Região Autónoma do Tibete da China a Xining e Korla, e duas grandes cidades nas províncias vizinhas de Qinghai e Xinjiang, respetivamente. Essas cidades também são conhecidas por servirem de base para uma variedade de contingentes militares do ELP.

Agora, um heliporto com estas condições poderá aumentar muito a capacidade da China de executar movimentos de tropas e operações logísticas rápidas para qualquer secção da fronteira com a Índia, escreve o The Drive. A junção da base aérea, ferrovia e heliporto também fazem da região de Golmud um verdadeiro ponto logístico capaz de suportar qualquer mobilização militar.

Diversos especialistas militares acreditam que a construção massiva de heliportos na região mostram o nível de compromisso da China em criar uma rede de descolagem vertical, focando-se na capacidade de projetar rapidamente a força e sustentar operações militares mesmo com pistas independentes.

ZAP //

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.