DESPORTO

Treinador do Vizela quer vencer Sporting para alcançar segundo objetivo

O Vizela quer atingir o segundo objetivo da época, os 42 pontos, frisou hoje o seu treinador, Manuel Tulipa, pelo que precisa de vencer o Sporting, na sexta-feira, na 34.ª e última jornada da I Liga de futebol.

“Queremos fazer um bom jogo, competitivo e claramente pontuar para alcançar o segundo objetivo, o dos 42 pontos. Esperamos um adversário difícil, muito competente, mas a nossa equipa está num nível de exigência elevado, até pelo que foi a semana de trabalho, e tudo fará para pontuar. É o nosso último jogo, diante dos nossos adeptos e queremos dar-lhes uma alegria, e isso passa por fazer um bom jogo porque ninguém ganha ao Sporting sem fazer um bom jogo”, disse o técnico na conferência de imprensa de antevisão.

Os minhotos só somaram dois pontos nas últimas seis jornadas (quatro derrotas e dois empates) e o Sporting, que só tem uma derrota nas últimas 18 rondas (2-1, com o FC Porto, em casa), vem de um empate caseiro com o líder Benfica (2-2) que ditou o quarto lugar no campeonato.

Face aos bons desempenhos contra alguns ‘grandes’, nomeadamente com o Benfica, em casa (derrota por 2-0), e com o Sporting, em Alvalade (derrota por 2-1), Tulipa foi questionado sobre o que falta para a equipa pontuar diante desses adversários, tendo o treinador apontado o dedo às arbitragens.

“No dia em que as decisões forem corretas para ambas as partes, decisões de uma terceira equipa [de arbitragem], quando houver imparcialidade, os resultados serão muito diferentes em Portugal”, disse.

Manuel Tulipa considerou que, nesses jogos, houve decisões que influenciaram os resultados, considerando haver uma “incoerência que não pode acontecer”.

O treinador defendeu que os áudios entre os árbitros no campo e os que estão no VAR devem ser tornados públicos, porque “se o VAR chama o árbitro é porque entende que este tomou a decisão errada”.

De resto, deu o exemplo da “volumetria dos braços”, umas vezes considerada para assinalar grandes penalidades, outras não, como uma das contradições que verificou ao longo da temporada.

O treinador do Sporting, Rúben Amorim, revelou aquele que será o ‘onze’ inicial dos ‘leões’ na sexta-feira e o técnico vizelense disse que trocará apenas “dois ou três jogadores” em relação à última equipa titular.

“A partir da sétima ou oitava jornada da segunda volta, atingimos a nosso principal objetivo [manutenção] e isso deu margem” para dar minutos a jogadores menos utilizados, explicou.

Manuel Tulipa alertou para a necessidade do Vizela preparar a próxima época atempadamente, dando o exemplo das boas carreiras de Santa Clara, Paços de Ferreira e Marítimo na última época e que nesta desceram de divisão, no caso de açorianos e pacenses, ou vão disputar o play-off de permanência, no caso dos insulares.

“A próxima época vai ser uma guerra, cada equipa vai querer ser melhor”, avisou.

O treinador deu também o exemplo do adversário de sexta-feira: “Olhamos para o Sporting desta época e percebemos o que não correu bem, quando entrámos no campeonato e estamos a vender jogadores influentes. Os inícios de época têm um efeito muito grande no desenvolvimento das equipas e, por isso, falo em fazer atempadamente as coisas”, reforçou.

Nuno Moreira, lesionado, está de fora das opções de Tulipa.

O Vizela, 11.º classificado, com 40 pontos, e o Sporting, quarto, com 71, defrontam-se na sexta-feira, às 21h15, no Estádio do FC Vizela.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *