Minho

Regularização e renaturalização da ribeira de Castro e rio Torto será mais-valia para os bracarenses

Os vereadores da Câmara Municipal de Braga Olga Pereira e Altino Bessa visitaram as obras de regularização e renaturalização da ribeira de Castro e do rio Torto, junto ao Estádio Municipal. A intervenção, cuja primeira fase já está concluída, vai permitir a criação de uma nova centralidade no Concelho, com um corredor verde e uma ciclovia, assumindo-se como uma mais-valia para a população residente naquela zona.

A fase em curso, orçada em cerca 2,3 milhões de euros com uma comparticipação da Agência Portuguesa do Ambiente (APA) de 450 mil euros, tem uma extensão de dois quilómetros e inclui o alargamento das margens do rio, a criação de bacias de retenção e pequenos açudes.

“O nosso objetivo é aumentar o nível da fauna e flora existente nesta ribeira de Castro e também no rio Torto”, adiantou o vereador do Ambiente, Altino Bessa, no final da visita que contou também com a presença do vice-presidente da APA, Pimenta Machado. Segundo Altino Bessa, a obra vai ainda contribuir para resolver o problema das cheias na reta do Feital. A obra deverá estar concluída no Verão.

Já o vice-presidente da APA, Pimenta Machado, adiantou que a intervenção vai permitir mitigar os efeitos das alterações climáticas. “Ao recuperar as margens e melhorar as condições de escoamento, estamos a preparar-nos para responder melhor a eventos extremos que serão cada vez mais frequentes”, disse aquele responsável, destacando a adopção de soluções de base natural, como a plantação de árvores.

Pimenta Machado salientou que este é mais um projeto exemplar desenvolvido pela Câmara de Braga que, no final, irá devolver o rio à população, criando condições de mobilidade e aumento da qualidade de vida.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *