DESPORTO

Álvaro Pacheco pede Vitória rigoroso perante “armadilhas” do Moreirense

O treinador Álvaro Pacheco frisou hoje que o Vitória SC deve ser “uma equipa muito rigorosa” e “mandar no jogo” para “não cair nas armadilhas” do Moreirense, no dérbi da 27.ª jornada da I Liga de futebol.

Na antevisão ao duelo que opõe as duas equipas do concelho de Guimarães no escalão maior do futebol luso, o técnico do Vitória, quinto classificado, com 50 pontos, frisou que a sua equipa está ciente “da importância” desta jornada, frente a um “adversário direto”, que é sexto, com 42.

“Vai ser mais um jogo difícil, como têm sido neste campeonato. Vão-se defrontar excelentes equipas, a lutar pelos mesmos objetivos. O Moreirense tem vindo a surpreender neste campeonato. Temos de ser uma equipa muito rigorosa e de não cair nas armadilhas que o Moreirense nos vai criar. Temos de procurar mandar no jogo em todos os momentos”, disse, antes do jogo de sábado, marcado para as 15:30.

O ‘timoneiro’ dos vimaranenses considerou que a equipa da vila de Moreira de Cónegos apresenta “um estilo de jogo muito próprio”, ao mesmo tempo capaz de “provocar erros no adversário e criar espaços”, mostrando–se “vertical, objetiva e pragmática” nas transições, e de ser associativa, com um trio de meio-campo que sabe “jogar por dentro” e lançar os elementos nos corredores laterais.

Convencido de que os ‘cónegos’ são “uma equipa muito bem orientada” por “um excelente treinador”, Rui Borges, o técnico vitoriano realçou que os seus atletas têm “um grande desafio” pela frente para “mostrarem a sua evolução” ao longo de uma paragem competitiva de duas semanas que não lhe agradou, face aos compromissos de seleções, mais foi útil para “limar arestas”.

“Pessoalmente, gostava que não houvesse paragem. Sou um ‘animal de competição’. Gosto de jogos e de campeonato. Havendo a paragem, deu claramente para acalmarmos, para trabalharmos alguns pormenores, para desanuviar um bocado mentalmente antes dos dois últimos meses da época, intensos e exigentes”, realçou.

O Vitória recebe o Moreirense depois de três triunfos consecutivos para a I Liga e antes de um ciclo com seis jogos em abril, que inclui as duas mãos da meia-final da Taça de Portugal, com o FC Porto, a 03 e 17 de abril.

Álvaro Pacheco disse gostar de “pensar jogo a jogo”, a começar pela receção ao Moreirense, mas adiantou que esse ciclo dá tempo e espaço para “mais uma boa dor de cabeça”, a de utilizar os dois guarda-redes do plantel com jogos oficiais, Charles e Bruno Varela, capitão de equipa, que esteve afastado dos relvados por mês e meio devido a uma lesão muscular e já recuperou.

O técnico elogiou ainda “a mentalidade de campeão” de Jota Silva, jogador que cumpriu as duas primeiras internacionalizações por Portugal em 21 de março, frente à Suécia (vitória por 5–2), em Guimarães, e frente à Eslovénia, na terça–feira, em Liubliana (derrota por 2–0), tendo–se mostrado convencido de que o atacante regressou ao Vitória “muito mais forte”.

“O que o fez chegar à seleção foi o foco, a resiliência e a capacidade de ultrapassar cada obstáculo. Vai ter de continuar a evoluir e a fazer um trabalho espetacular, melhor do que tem vindo a fazer. Isto [convocatória para a seleção] fê-lo perceber o que o fez lá chegar e o que é importante para lá se manter”, disse.

O Vitória SC, quinto classificado da I Liga portuguesa, com 50 pontos, recebe o Moreirense, sexto, com 42, em desafio marcado para as 15h30 de sábado, no Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães, com arbitragem de João Gonçalves, da Associação de Futebol do Porto.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *