Tecidos de seda de rei dinamarquês santificado são, afinal, do seu irmão

A Catedral de Odense, na Dinamarca, guardou durante nove séculos as relíquias do rei São Canuto, o Santo, e do seu irmão Benedikt, ambos assassinados em 1086 d.C.. A história das relíquias é turbulenta: inicialmente, eram um objeto de adoração dos fiéis católicos, mas depois da reforma protestante, em 1536, foram escondidas.

Os sacrários de madeira dos irmãos estão em exibição na catedral de Odense, na Dinamarca, como património nacional desde o século XIX. Agora, uma equipa de cientistas analisou cuidadosamente alguns tecidos.

Os investigadores concluíram que o sacrário do rei Canuto não contém os tecidos de seda colocados na sua consagração. Em vez disso, explicam, é provável que os tecidos do sacrário do seu irmão tenham sido transferidos em algum momento para o sacrário do rei. O artigo com as descobertas foi publicado no dia 30 de setembro na Heritage Science.

De acordo com fontes históricas, ambos estavam cobertos de tecidos valiosos e, em 1536, o sacrário de Canuto estava forrado com um raro tecido de seda. Décadas mais tarde, os sacrários foram colocados verticalmente e, a partir de então, não houve relatos dos tecidos no sacrário do rei, quando foi reexaminado em 1694 e 1833.

Quando os sacrários foram preparados para serem exibidos em 1874, os investigadores ficaram intrigados com a ausência dos tecidos valiosos e puseram em cima da mesa a hipótese de terem sido roubados.

Se no sacrário do rei Canuto não encontraram qualquer tecido, ficaram perplexos quando perceberam que o sacrário do irmão Benedikt tinha os tecidos mais valiosos. Perante esta observação, os investigadores declararam-se incapazes de julgar a qual dos sacrários pertenciam os tecidos encontrados.

Kaare Lund Rasmussen, professor e especialista em arqueometria da Universidade do Sul da Dinamarca, realizou análises químicas dos tecidos em ambos os sacrários e concluiu que têm a mesma idade. Segundo o Ancient, descobriram ainda que a idade coincide com a de 1086, quando os dois irmãos foram consagrados.

“Juntamente com as informações obtidas através de fontes históricas, concluímos que o rei Canuto está no seu sacrário com o que são, na verdade, os tecidos funerários do seu irmão”, adiantou Rasmussen.

Entre os tecidos destinados a Benedikt, mas posteriormente colocados com Canuto, estão uma almofada com pássaros e o tecido “Seda de Águia”. “Estes tecidos são bonitos, mas os tecidos do rei Canuto devem ter sido ainda mais requintados”, disse o investigador.

De acordo com os especialistas do Museu Nacional da Dinamarca, Ulla Kjær e Poul Grinder-Hansen, as sedas luxuosas podem ter sido enviadas do sul da Itália para os sacrários na Dinamarca pela viúva do rei Canuto, Edel.

ZAP //

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *