Amares, Terras de Bouro, Vila de Prado e Vila Verde com gabinetes de apoio à vítima

A violência doméstica deve ser tratada um problema social, que intensifica o seu o grau de complexidade nesse período de pandemia, com consequências nas áreas social, económica, laboral e familiar.

O Projeto Chega Mais disponibiliza um serviço de Apoio à Vítima de Violência Doméstica que têm como objetivo disponibilizar uma resposta de intervenção no âmbito da violência de género, integrando as componentes de combate à violência doméstica/violência no namoro e apoio às vítimas de qualquer género.

Este serviço é dinamizado em uma parceria conjunta com os Municípios de Amares, Terras de Bouro e Vila Verde, com o intuito de proporcionar atendimento, apoio e reencaminhamento de vítimas de violência doméstica, atuando numa lógica de trabalho em rede, por forma a dar respostas de proximidade no apoio e intervenção multidisciplinar e especializada às vítimas.

O Gabinete de Apoio à Vítima de Violência Doméstica está disponível em quatro estruturas locais nos seguintes horários:

Segundas – feira | 10h00 – 16h00
Município de Vila Verde
Praça do Município

Terças – feira | 10h00 – 16h00
Espaço Cidadão da Vila de Prado
Bom Sucesso, Rua 1

Segundas – feira | 10h00 – 16h00
Bombeiros Voluntários de Terras de Bouro
Av. dos Bombeiros Voluntários, 21
4840-100 Terras de Bouro

Quartas – feira | 10h00 – 16h00
Município de Amares
Largo do Município
4720-058 Amares

Tendo em conta as mais recentes diretrizes da Direção Geral da Saúde (DGS), é solicitado que seja efetuado previamente um telefonema para agendamento do dia e hora do atendimento, no sentido do cumprimento dos procedimentos de segurança e higiene necessários.

O Projeto Chega Mais é dinamizado pela SOPRO ONGD – Solidariedade e Promoção, no âmbito do cofinanciamento pelo POISE-03-4437-FSE-000186 com tutela da CIG–Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género.

A pandemia de Coviid-19, além de impôr o medo do contágio e dos seus efeitos sobre a saúde ou a própria vida, veio pôr em evidência um agravamento específico das condições de vida das pessoas mais vulneráveis às situações de violência doméstica.

As condições de isolamento social, aumentou a exposição das vítimas aos maus tratos decorrentes de relacionamentos abusivos, trazendo ainda mais dificuldades ao acesso aos mecanismos de denúncia e procura de ajuda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *