Sonda da ESA identifica trio de crateras formado misteriosamente em Marte

Nos antigos planaltos marcianos de Noachis Terra – uma região fortemente impactada há cerca de 4 mil milhões de anos – os astrónomos avistaram um trio de crateras formado por três bacias sobrepostas.

A Agência Espacial Europeia (ESA) anunciou recentemente a descoberta de uma cratera com três níveis sobrepostos na superfície do Planeta Vermelho pela missão Mars Express.

Segundo o Science Alert, a cratera tripla (ou conjunto de três crateras gémeas) está localizada no hemisfério sul de Marte, numa região conhecida como Noachis Terra.

Este trio encontra-se muito perto da Cratera de Le Verrier, que possui 140 quilómetros de diâmetro – por comparação, a maior cratera trigémea possui 45 quilómetros de diâmetro.

Os astrónomos adiantaram que esta área terá sido fortemente atingida por asteróides há cerca de 4 mil milhões de anos, pelo que a superfície está muito marcada pelos impactos.

Uma das possíveis explicações para a criação desta cratera tripla sugere que um asteróide se fragmentou em três pedaços antes de atingir a superfície de Marte. Se esta teoria for confirmada, pode ser um indício de que o planeta possuía uma atmosfera muito mais densa há 4 mil milhões de anos, suficientemente forte para fragmentar corpos celestes.

Há, no entanto, outra hipótese em cima da mesa: três asteróides distintos podem ter colidido ao mesmo tempo com Marte, criando este conjunto de crateras.

Os cientistas defendem que a teoria de uma atmosfera mais densa se torna mais plausível se cruzarmos esta informação com o facto de Marte ter sido mais quente e húmido no passado, o que coincide com recentes investigações divulgadas sobre a presença de antigos rios na superfície marciana.

Há semelhança de outras “cicatrizes”, esta pode revelar muitos segredos sobre o (ainda) misterioso Planeta Vermelho.

ZAP //

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *