Cidadão questiona na Assembleia Municipal de Amares acumulação de resíduos em espaço público

Carlos Manuel Dobreira esteve presente na última Assembleia Municipal de Amares alertando para a acumulação de resíduos de construção e demolição, de resíduos recicláveis e de resíduos sólidos urbanos em diversas freguesias.

Na intervenção que fez, o cidadão considerou que “o concelho de Amares tem um grave problema em mãos, a exemplo da maioria dos concelhos de Portugal. Refiro-me à pegada ecológica, em particular à quantidade de resíduos observados nas suas freguesias, junto a contentores, a ecopontos, à porta de casa, nos portões, em santuários, nos adros de igrejas, em praças, nas imediações das escolas, nas bermas das estradas, nos regadios. Entre os resíduos, destaco os de construção e demolição, os resíduos recicláveis e os resíduos sólidos urbanos e indiferenciados”.

Por isso, quis saber do executivo municipal o que tencionava fazer para resolver o assunto.

“Vai construir contentores subterrâneos (ilhas ecológicas)? Vai promover uma campanha de sensibilização sobre a correta separação de resíduos? Vai desafiar as amarenses e os amarenses a serem responsáveis pela plantação de uma árvore? Vai protocolar acordos de colaboração, por exemplo com os Municípios de Esposende e da Maia, referências a nível nacional, para tornar Amares um concelho modelo no seu contributo face às alterações climáticas, na promoção do desenvolvimento sustentável, na prática da Educação Ambiental?”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *