Plataforma de conteúdos em streaming identifica problemas e aponta soluções para o controlo epidemiológico do VIH

“Prioridade VIH/SIDA – a doença ainda existe. O que fazer?” é a primeira plataforma de conteúdos em streaming dedicada ao VIH, lançada oficialmente hoje, numa antecipação da efeméride que assinala o Dia Mundial da Luta contra a SIDA.

Ao longo do dia serão lançados vários conteúdos com informação em tempo real que que vão desde entrevistas, discussão, partilha de conhecimentos e experiências de doentes e profissionais de saúde.

Conta ainda com a participação de associações de doentes que, através dos seus testemunhos, deixam relatos que identificam os principais problemas que os doentes enfrentam, ao mesmo tempo que partilham o trabalho que têm vindo a desenvolver.

Para Ricardo Fernandes, que “abre” o projeto na qualidade de Presidente do European AIDS Treatment Group (EATG), “apesar da eficácia das terapêuticas atuais, que já permitem um controlo do ponto vista clínico, ainda existem problemas por resolver e soluções por encontrar, por forma a que consigamos apertar o controlo epidemiológico desta doença. Temos que fazê-lo num exercício conjunto entre doentes, profissionais de saúde, decisores e a comunidade em geral, conscientes de que a doença não pode ser esquecida ou remetida para segundo plano”.

Voltar a focar no VIH/SIDA é por isso o grande objetivo desta iniciativa. Através da criação de um espaço de informação em tempo real, pretende-se perceber em que situação se encontram os doentes, como promover a qualidade de vida da pessoa com VIH, e, sobretudo, como poderá Portugal alcançar as metas estabelecidas pela Organização das Nações Unidas (ONU).

Através do seu programa UNAIDS, a ONU estabeleceu a meta dos pilares 90-90-90 até 2020* como o primeiro passo para extinção do caracter epidémico da infeção VIH. Portugal atingiu valores superiores a 90 em cada um dos 3 pilares, algo que se traduz em ganhos de efetividade do sistema, tendo como resultado último a efetividade económica e viabilidade de recursos.

A segunda etapa estabelecida pela UNAIDS é o aumento dos pilares para 95-95-95. No entanto, os especialistas defendem que este patamar só será alcançado com a potenciação de “uma viga estrutural” sobre os pilares 90: a qualidade de vida da pessoa que vive com VIH, considerado o 4º 90.

Como explica Ricardo Fernandes “para alicerçar a qualidade de vida é necessário apostar na literacia, no combate ao estigma social e ao autoestigma, na integração social, no acesso aos medicamentos e aos melhores cuidados, bem como nas condições socioeconómicas do doente”. Defende ainda que, nesta fase, a comunicação é a peça que falta para unir todas estas pontes e acrescenta que “este espaço virtual, prioridadevihsida.newsfarma.pt, é um contributo importante na construção de estratégias que ajudem a alcançar as novas metas estabelecidas”.

O projeto “Prioridade VIH/SIDA – a doença ainda existe. O que fazer?” é uma iniciativa da Newsfarma com o apoio da ViiV Healthcare e pode ser acedido em prioridadevihsida.newsfarma.pt

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *