Aconselhamento matrimonial aumentou 286% e 26% pensou em divorciar-se durante a pandemia

O ano pandémico de 2020 foi devastador para as relações dos casais que, com a a obrigação de passar 24 horas juntos, com o teletrabalho obrigatório e com as aulas dos filhos em casa, foram em busca do aconselhamento matrimonial, cuja procura aumentou 286% face a 2019, revela um estudo da Fixando junto de 8.300 pessoas inscritas na plataforma de contratação de serviços profissionais.

A análise demonstra ainda que durante o último ano, 26% dos inquiridos ponderaram o divórcio, com 38% a assumir que os dois confinamentos tiveram um impacto muito negativo na relação, e 3% a considerar mesmo contratar um detetive privado para seguir o parceiro.

Este efeito reflete-se também na celebração do dia dos namorados, com 56% dos questionados a recusar-se a celebrá-lo, e apenas 11% a planear um presente e um programa especial para o dia em questão.

Do mesmo modo, os valores a despender sofreram ainda um decréscimo, sendo que em média cada inquirido irá gastar uma média de €36 nas celebrações, representando menos €21 face a 2020, quando o valor médio rondava os €57.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.