‘Projeto Gerações’ melhora a qualidade de vida e a consciência cultural dos utentes de IPSS no Ave

O Projeto Gerações, pensado e executado por jovens da região de Guimarães, parte de um problema que se agravou durante os tempos difíceis vividos pelos idosos institucionalizados, a necessidade de intervenção artístico-educativa para o desenvolvimento dos utentes.

Em parceria com duas IPSS’s da região – Centro Social Irmandade de São Torcato e Santa Casa da Misericórdia de Guimarães – este projeto pretende intervir e desenvolver o pensamento crítico, a autonomia, emancipação e expressão física e intelectual dos utentes.

Este projeto vai ser implementado, na íntegra, à distância devido à atual situação pandémica que vivemos e, de forma, a reduzir os contactos com os idosos, doentes de risco neste contexto.

Para alcançar essas mudanças, a equipa vai executar duas atividades:

ZOOM IN – Conversas performativas que se inicia hoje e prolonga até ao final de abril, onde se criará um espaço de partilha online, seja através de conversas informais, seja pela partilha de um momento cultural, sem nunca esquecer as principais premissas deste projeto: o desenvolvimento integral do indivíduo, atendendo à melhoria da qualidade de vida. Serão convidados vários artistas locais a participar nestas conversas, de forma a proporcionar um momento cultural e artístico especial para cada idoso.

Entre os vários artistas que já confirmaram a sua participação, destacamos Zé Amaro, Tiago Simães, Liliana Oliveira, Luís Canário Rocha, Tun’O Bebes, OPUM DEI entre outros.

A atividade seguinte, que decorrerá entre maio e junho, prevê a realização de atividades baseadas em várias vertentes artísticas por parte dos utentes, seguindo indicações e sugestões, dadas através de vídeo, por um técnico gerações e manuseando materiais que vai receber dentro uma caixa personalizada.

O Art in a box – laboratório de criação está pensado para ser desenvolvido pelo utente, no seu espaço designado; a ideia é que os utentes sejam capazes de fazer tudo aquilo que lhes é proposto, através dos vídeos, autonomamente havendo uma forte aposta em atividades que sejam de relativa fácil resolução, mas que constituam, ainda assim, um desafio para quem as executa. Estas atividades vão abordar diferentes vertentes artísticas através de conceitos como a imagem, som, movimento, espaço, palavra, etc.

Todo o processo vai ser acompanhado por uma realizadora que estará a recolher material para depois produzir uma curta-documental sobre o projeto.

Todas as atividades apresentadas foram antecedidas de um processo de integração no contexto onde foi estudado o público-alvo, de forma a adequar as atividades às necessidades e interesses reais dos utentes que delas vão usufruir.

Durante o decorrer das atividades também um processo paralelo de avaliação contínua será desenvolvido de forma a perceber, a todo o momento, se as atividades estão a responder aos objetivos a que se propõem. No final do projeto, um procedimento intensivo de avaliação será também feito, de forma a perceber quais as mudanças que estes utentes sofreram depois da execução das atividades, comparativamente ao seu estado inicial.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *