Vacinação Covid-19: o que devo saber?

Toda a população portuguesa poderá ser vacinada, desde que seja elegível de acordo com as indicações clínicas aprovadas para cada vacina na União Europeia. No entanto, na fase atual, devido ao ainda escasso número vacinas, foram definidos grupos prioritários, por estarem mais vulneráveis à COVID-19.

A vacina é segura?

Tal como para qualquer outro medicamento, no desenvolvimento e aprovação das vacinas contra a COVID-19, foi garantida a sua eficácia, segurança e qualidade, através de ensaios clínicos e de uma avaliação rigorosa pela Agência Europeia de Medicamentos. E, também à semelhança do que se passa com qualquer medicamento, não se pode excluir a ocorrência de efeitos adversos (raros), que apenas são detetáveis quando uma vacina é administrada a milhões de pessoas.

Qual a proteção que vou obter com a vacinação?

Ser vacinado contra a COVID-19 permite obter proteção individual contra a doença e suas complicações, bem como contribuir para a proteção da saúde pública, através da imunidade de grupo.

As vacinas não evitam completamente o risco de infeção. No entanto, as poucas pessoas vacinadas que foram infetadas, desenvolveram geralmente formas pouco graves de COVID-19.

Quais os efeitos secundários?

Como qualquer outro medicamento, também a vacina contra a COVID-19 pode ter reações adversas. A maioria delas são ligeiras e de curto prazo (24 a 48 horas).

Os efeitos secundários mais relatados são: dor e/ou vermelhão no local de injeção, fadiga, dor de cabeça, dores musculares, dor nas articulações e febre. Em caso de persistência dos sintomas, contacte o seu médico assistente ou a Linha SNS24.

Qualquer efeito adverso da vacina deve ser reportado à sua equipa de saúde ou através do Portal de Notificação de Reações Adversas (RAM) do INFARMED, I.P.

Se procurar os serviços de saúde por outro problema de saúde, informe sobre a sua vacinação para que possam avaliá-lo adequadamente.

Posso ser infetado pela vacina?

Não pode ser infetado através da vacina, pois as vacinas não contêm vírus que causam a doença. No entanto, é possível ter contraído COVID-19 nos dias antes ou imediatamente após a vacinação e surgirem os sinais da doença poucos dias depois da vacinação.

Salienta-se que o período de incubação da doença é de 2 a 14 dias, verificando-se propagação viral cerca de 2 dias antes do aparecimento de sintomas e durante cerca de uma semana desde o início dos sintomas. Mesmo as pessoas com infeção assintomática podem transmitir o vírus, ainda que a transmissão da infeção por pessoas que se mantêm sem qualquer sintoma durante o curso da doença seja, pouco comum.

Os sintomas mais frequentemente descritos são febre, tosse seca, dispneia, fadiga, náuseas/vómitos e diarreia, mialgias e alterações do paladar e do olfato.

Se eu estiver infetado sem o saber (assintomático), será perigoso tomar a vacina?

Não existem evidências científicas que sugiram que a vacinação representa um risco para uma pessoa com infeção assintomática por SARS-CoV-2.

Depois de vacinado, se tiver uma exposição de alto risco com um doente positivo para a COVID-19, fico em isolamento e faço teste?

Por precaução e até serem conhecidos mais dados de efetividade vacinal, as pessoas vacinadas contra a COVID-19 devem manter o cumprimento das medidas de prevenção e controlo de infeção de acordo com as normas. O que, à data de hoje (03-03-2021), implica:

Cumprir isolamento profilático determinado pela Autoridade de Saúde;

Realizar teste laboratorial para SARS-CoV-2 até ao 5.º dia após a data da última exposição ao caso confirmado dentro do período de transmissibilidade, e

Caso o resultado seja negativo no teste realizado nos termos do ponto anterior e permaneçam assintomáticos ao longo do período de isolamento profilático, realizar novo teste laboratorial para SARS-CoV-2 ao 10.º dia após a última exposição de alto risco.

Para mais informação, consulte:

Norma nº 015/2020 de 24/07/2020 atualizada a 19/02/2021 – COVID-19: Rastreio de contactos

Norma nº 004/2020 de 14/10/2020 – COVID-19: Abordagem do Doente com Suspeita ou Infeção por SARS-CoV-2

Norma nº 002/2021 de 30/01/2021 atualizada a 09/02/2021 -Campanha de Vacinação contra a COVID-19

Alice Magalhães

Esp. Enfermagem Comunitária e de Saúde Pública

Unidade de Saúde Pública

ACeS Cávado II – Gerês/Cabreira

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *