Nacional do PSD contraria concelhia e impõe Mário Constantino em Barcelos

A Comissão Política Nacional do PSD aprovou a candidatura de Mário Constantino à Câmara de Barcelos, contrariando, assim, a escolha da concelhia, que tinha recaído sobre o independente João Sousa, disse hoje fonte partidária à Lusa.

Segundo o presidente da Distrital de Braga do PSD, Paulo Cunha, o nome de Mário Constantino foi decidido na última noite, em reunião da Comissão Política Nacional.

“É uma escolha legítima, que eu, naturalmente, respeito. A Comissão Política Nacional é soberana”, disse Paulo Cunha.

Mário Constantino já tinha sido o candidato do PSD em 2017, tendo então perdido para o PS, liderado por Miguel Costa Gomes.

Na semana passada, a concelhia de Barcelos tinha escolhido, por unanimidade, o empresário têxtil João Sousa, uma escolha ratificada pela Distrital, com duas abstenções.

O processo que levara a essa escolha provocou quatro demissões, incluindo a da vice-presidente da concelhia Mariana Carvalho.

A escolha do candidato do PSD à Câmara de Barcelos para as eleições autárquicas deste ano, que decorrerão entre setembro e outubro, começou por ser alvo de um “estudo de opinião”, que colocou Mário Constantino como o favorito, seguido, por esta ordem, de Bruno Torres, então líder da concelhia, Francisco Dias e Domingos Araújo.

Em inícios de março, Bruno Torres manifestou vontade de ser o candidato, mas o seu nome foi chumbado, acabando por se demitir.

Na altura, também o secretário da concelhia bateu com a porta.

A Lusa tentou ouvir o atual líder da concelhia, António Lima, mas ainda não foi possível.

Na semana passada, António Lima tinha dito à Lusa que João Sousa “reunia todas as condições” para unir o partido em torno da candidatura.

“O nome foi indicado por mim, assumo toda a responsabilidade. É uma cara nova, um rosto independente, um investidor, um fazedor e, sobretudo, um decisor, que é coisa que não temos na Câmara de Barcelos há 12 anos”, disse ainda.

A Câmara de Barcelos é liderada, pelo terceiro mandato consecutivo, por Miguel Costa Gomes, do PS, também empresário e que também, aquando da primeira eleição, entrou na corrida como independente.

Nas eleições autárquicas de 2017, o PS elegeu cinco elementos para executivo, a coligação PSD/CDS quatro e o movimento independente Barcelos Terras de Futuro (BTF) dois.

A governabilidade da Câmara tem sido assegurada pelo vereador do BTF José Pereira, que passou a votar praticamente sempre ao lado da maioria socialista.

Com Miguel Costa Gomes impossibilitado de se recandidatar por causa da lei de limitação de mandatos, o PS/Barcelos ainda não anunciou o candidato para as eleições deste ano, mas o Secretariado já indicou, por unanimidade, Horácio Barra, atual presidente da Assembleia Municipal.

A indicação aponta ainda para Miguel Costa Gomes como número um da lista à Assembleia Municipal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *