“O Futuro do Trabalho” é tema de conversa com eurodeputados e Ministra do Trabalho

A poucos dias da Cimeira Social, no Porto, organizada pela Presidência Portuguesa do Conselho da UE, o Parlamento Europeu organiza um webinar sobre “O Futuro do Trabalho”.

Falam os eurodeputados Sandra Pereira (PCP, GUE/NGL, Vice-Presidente da Comissão do Parlamento Europeu do Emprego e dos Assuntos Sociais), Maria Manuel Leitão Marques (PS, S&D) e José Manuel Fernandes (PPE, PSD), e a Ministra do Trabalho Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho.

A moderação é feita por Margarida Peixoto, jornalista do Jornal de Negócios. O evento acontece no estúdio virtual do Parlamento Europeu e pode ser acompanhado no Facebook do Parlamento Europeu em Portugal.

A atual pandemia de coronavírus e as crises de saúde que a acompanham destacaram e intensificaram certas tendências e desafios que já afetavam o mercado de trabalho na Europa. Isso inclui digitalização e automação acelerada, maior uso de inteligência artificial, restrições relacionadas com a falta de competências digitais e problemas relativos à situação dos trabalhadores online e outros trabalhadores em formas de emprego não padronizadas.

Paralelamente, tem havido uma expansão sem precedentes no teletrabalho e no desenvolvimento de plataformas de transporte e entrega, como resultado da necessidade de distanciamento social durante a pandemia. Muitas dessas mudanças sobreviverão à crise atual e gerarão, por sua vez, novos desafios, que a UE e os Estados-Membros terão de enfrentar.

A Cimeira Social vai delinear a respetiva agenda europeia para os próximos anos através da implementação do Plano de Ação do Pilar Europeu dos Direitos Sociais cujos principais objetivos, a atingir até 2030, são:

-Alcançar uma taxa de empregabilidade de, pelo menos, 78% na União Europeia;
-Obter, no mínimo, uma percentagem de 60% dos adultos a participar anualmente em formação;
-Reduzir o número de pessoas em risco de exclusão social ou de pobreza em cerca de 15 milhões de pessoas, entre as quais 5 milhões de crianças.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *