Denúncias de violência doméstica a maiores de 65 anos aumentaram 3,7%

Os crimes de violência doméstica participados à Polícia de Segurança Pública (PSP) em 2020 aumentaram 3,7% face a 2019, o que se deve, sobretudo, ao aumento das denúncias de violência executada por descendentes.

Segundo os mais recentes dados divulgados à Lusa, a PSP registou em 2020 1.418 denúncias de violência doméstica a maiores de 65 anos, quando no ano anterior tinha recebido 1.368.

Em 2020, 684 denúncias são relativas a violência exercida por descendentes, representando 48,2% do total, enquanto em 2019 o mesmo tipo de violência deu origem a 630 denúncias (46,1% do conjunto).

No ano passado, “a violência ocorrida nas relações entre ascendentes e descendentes alcançou o valor mais próximo dos registos da violência conjugal ou análoga”, explicita a PSP.

Do total das denúncias, a maioria foi apresentada presencialmente (43%) ou através de ações de policiamento de proximidade (41%), e as restantes por telefone (7%), pelo 112 (2%), outro (5%) ou de forma não definida (2%).

A maioria das vítimas nesta faixa etária é mulher (75%), entre os 65 e os 74 anos (55%), e independente economicamente do abusador (88%).

Os dados fornecidos revelam que 40% dos denunciados têm problemas com o consumo de bebidas alcoólicas e 20% com estupefacientes.

A quase totalidade (entre 85% a 90%) das ocorrências acontecem na residência particular e a forma de violência predominante é a psicológica (surge em 90% das ocorrências), seguida da violência física (em 65% dos casos denunciados).

Dos casos apresentados à PSP, um em quatro contava já com denúncia nos seis meses anteriores.

Em paralelo, a Polícia de Segurança Pública realizou entre 18 de maio e 25 de setembro de 2020 a nona edição da operação “Solidariedade Não tem idade”, a qual é direcionada para os cidadãos seniores e da qual resultaram 6.286 contactos pessoais.

No comunicado, as autoridades informam que, “dos cidadãos contactados, 991 foram sinalizados às entidades parceiras nas redes sociais locais, porquanto 891 foram considerados em contexto de risco e, destes, 508 foram de imediato encaminhados para instituições de apoio”.

“Encontravam-se nestas situações pessoas em situação de total isolamento e ou vitimização, suscetíveis de iminente perigo para a sua integridade física, mental ou psicológica”, acrescentam.

A PSP sublinha que “para denunciar qualquer situação” se pode fazer o contacto através do 112, telefone da Esquadra local, ou dos endereços eletrónicos violenciadomestica@psp.pt ou proximidade@psp.pt’.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *