Etiqueta inovadora armazena energia e monitoriza, em tempo real, mercadorias

É uma solução tecnológica que pretende otimizar o controlo e a gestão logística de mercadorias durante o seu transporte. Chama-se TAG-RFID e é uma etiqueta que vai permitir monitorizar, em tempo real, a localização e o estado de uma mercadoria e equipamentos, para garantir que a mesma mantém a qualidade durante o seu transporte.

Os dados obtidos através da etiqueta, que terá ainda capacidade de armazenamento de energia, serão transmitidos para uma App que permitirá analisar toda a informação associada ao produto.

A inovação, cujo lançamento está previsto em 2022, resulta da investigação do CeNTI, instituto de I&DT de referência em Nanotecnologia e Materiais Técnicos, Funcionais e Inteligentes, e da Viatel, empresa portuguesa líder no setor da Engenharia de Redes de Telecomunicações.

“Apesar de existirem no mercado etiquetas RFID, esta solução é inovadora e diferenciadora pelo facto de integrar sistemas de sensorização que permitem monitorizar, na mercadoria, parâmetros como a temperatura e humidade. Além disso, não se trata de uma etiqueta passiva, mas sim, ativa, devido à sua capacidade para armazenar energia, e adquirir informação mesmo quando não está sobre o campo de ação da antena”, refere Juliana Soares, uma das investigadoras do Projeto, por parte do CeNTI.

“A etiqueta tem incorporados novos sistemas de armazenamento de energia compatíveis com a alimentação sem fios. Além disso, pretende-se que esta etiqueta tenha maior autonomia em termos de tempo de utilização”, acrescenta.

De acordo com a responsável, a solução procura resolver atuais lacunas verificadas no controlo e monitorização de mercadorias em trânsito.

“O projeto tem como meta dar resposta a uma necessidade identificada pelo controlo de qualidade, no âmbito da gestão dos stocks que circulam permanentemente no interior de carrinhas de operação/distribuição. Até agora, não era possível monitorizar, em tempo real, a localização dos equipamentos nem o real estado dos mesmos, sujeitos a diferentes parâmetros, como a temperatura, humidade, entre outros. E estes são aspetos importantes que podem alterar ou danificar a qualidade final do produto e/ou equipamento”, adianta Juliana Soares.

Apesar da etiqueta ter surgido após as carências verificadas pela Viatel e da empresa estar diretamente envolvida na criação e utilização da etiqueta, é objetivo do consórcio alargar esta tecnologia para outras empresas na área da Logística.

A TAG-RFID resulta, assim, do conhecimento e da experiência da Viatel e do CeNTI. Líder do consórcio, a Viatel é uma empresa portuguesa especializada na produção de sistemas de energia e telecomunicações que possui um grande histórico associado ao uso de metodologias, gestão e sistemas operacionais de distribuição de produtos.

Já o CeNTI é o principal dinamizador das tarefas de I&D, para as quais tem mobilizado o seu vasto know-how e recursos tecnológicos de que dispõe em áreas como materiais funcionais e inteligentes, sistemas eletrónicos de controlo, comunicação e sensorização.

A etiqueta, que resulta do Projeto denominado Vi-TAG, deverá chegar ao mercado no decorrer de 2022 e pretende revolucionar o setor da Logística, oferecendo uma nova solução tecnológica capaz de otimizar todo o processo logístico e, com isso, alavancar a competitividade das empresas.

O Projeto Vi-TAG é cofinanciado pelo COMPETE 2020, envolvendo um custo elegível de 465.663,81€ e um apoio da União Europeia, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional), de 301.663,81€.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *