Amares implementa programa de apoio especializado para intervenção junto de cuidadores informais

O Município de Amares, em articulação com o projeto Cuidar de Quem Cuida e o ACES Cávado II Gerês Cabreira, está a implementar o projeto de apoio especializado “Cuidar de quem cuida”, um projeto nacional reconhecido como uma iniciativa de empreendedorismo social inovadora ao nível da intervenção junto de cuidadores informais, cujo objetivo passa pela capacitação de técnicos de instituições locais para a intervenção, em rede, junto de quem tem a cargo pessoas em situação de dependência.

Para a Vice-presidente do Município de Amares e vereadora da Ação Social, Cidália Abreu, “este projeto é uma oportunidade de partilha de experiências entre as diversas técnicas, bem como a possibilidade de capacitar em termos profissionais e pessoais estas profissionais da área social que, no seu dia a dia, lidam com os cuidadores informais e são fundamentais no apoio e na transmissão de conhecimentos e de estratégias de intervenção junto das mesmas. É necessário e urgente cuidar de quem cuida, olhar para os cuidadores informais com todo o respeito e carinho”, sublinha Cidália Abreu.

Até ao momento, o CQC está presente em 23 municípios da zona Norte, num total de 172 entidades envolvidas e 343 técnicos das redes locais capacitados para implementar respostas de apoio a cuidadores.

Implementado pela primeira vez em 2009 na região Entre Douro e Vouga (EDV) e após ter passado por diferentes fases em várias zonas do país, em janeiro de 2019, o CQC foi aprovado como Título de Impacto Social (TIS), um dos quatro instrumentos de financiamento da iniciativa Portugal Inovação Social. A iniciativa está agora a ser replicada em mais municípios da zona norte do país, incluindo Amares.

Nesta fase, o projeto é promovido pelo CASTIIS, tendo como investidores sociais a Fundação Calouste Gulbenkian e o Grupo José Mello Saúde e como parceiros a ACSS, a MAZE e o CINTESIS.

Programa dispõe de respostas de intervenção em grupo e individuais
Atualmente, no âmbito do CQC, existem respostas de intervenção em grupo e de intervenção individual. As necessidades do território e os recursos disponíveis nas diferentes redes locais determinam quais as respostas a implementar. Relativamente às intervenções em grupo, as respostas CQC consistem nos Programas Psicoeducativos e nos Grupos de Ajuda Mútua; quanto às respostas de intervenção individual propõem os Gabinetes de Apoio ao Cuidador.

As intervenções psicoeducativas contemplam uma intervenção de suporte educativo e de suporte emocional, permitindo ao cuidador obter conhecimentos e partilhar dúvidas e vivências através de momentos organizados para o efeito.

Os Programas Psicoeducativos CQC são programas de intervenção especializada, dinamizados por uma equipa multidisciplinar. Atualmente, esta resposta divide-se em Programas Psicoeducativos para Cuidadores Informais de Pessoas com Demências (PP-CQCd) e Programa Psicoeducativo para Cuidadores Informais – Não Especificados (PP-CQCne). Este último, destina-se a cuidadores informais de pessoas dependentes e cujo nível de dependência pode ter diferentes origens (física e/ou mental).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *