Centro Social Vale do Homem: 16 anos em missão humanista e solidária

A associação “Centro do Vale do Homem” assinala, hoje, 16 anos de vida, num contexto de confiança reforçada para superar novos desafios e emergências que a permanente evolução social suscita e, simultaneamente, convoca a todos numa missão de valorização humanista e solidária.

O presidente da direção, Jorge Pereira, sublinha que “o processo de crescimento e reconhecida consolidação do Centro Social do Vale do Homem sobressai da mesma vontade humanista e de abnegação de pessoas atentas e preocupadas com o crescente envelhecimento da população e a incapacidade das comunidades locais em garantir condições para acolher e promover a vida ativa das pessoas seniores, sob justos e merecidos padrões de qualidade de vida”.

À causa social e humanista soma-se “a necessidade de contribuir para a valorização do território” em que se insere o Centro Social do Vale do Homem, com especial impacto na “necessidade de fixar população e gerar emprego e dinamização económica”, como acontece no interior minhoto compreendido pelos concelhos de Vila Verde, Amares e Terras de Bouro.

O Centro Social do Vale do Homem está já a trabalhar também no concelho de Braga.

Novas valências
A par das valências de assistência à população sénior, alargou as áreas de intervenção no apoio a pessoas com demência. “Estamos já a trabalhar para responder a novos desafios também ao nível da infância, da saúde mental e da deficiência físico-motora”.

O CSVH assume-se igualmente como parceiro na promoção da saúde, com particular atenção para a prevenção de doenças e cuidados a pessoas em locais desfavorecidos. Nesse âmbito, estão projetadas novas áreas de intervenção, designadamente ao nível do fomento da prática do desporto.

Recorde-se que a cultura também está presente como provam os casos do Grupo Coral, do Grupo de Teatro e do Grupo Folclórico do Vale do Homem.

Com 150 profissionais, Jorge Pereira reconhece que “ao sucesso e à sustentabilidade da atividade do Centro Social do Vale do Homem estão também intrinsecamente ligados o sistema de transparência e os critérios de rigor na gestão da nossa instituição, com contas certificadas e sob acompanhamento contínuo de uma equipa uma equipa com Contabilista Certificado e Revisores Oficiais de Contas”.

Cartão de sócio
Para o presidente do CSVH, “a missão e a existência desta instituição dependem dos sócios e, também por isso, queremos que estejam e se sintam parte efetiva da nossa ‘casa’. Imbuídos desse espírito, criámos o Cartão de Sócio, dotado de funcionalidades marcantes na vida diária do Centro Social do Vale do Homem”.

Por isso, o Cartão de Sócio – com inclusão de informações importantes para a identificação e atividade de funcionários, dirigentes e associados – passa a ser “a ‘chave’ de acesso à instituição e a regular a mobilidade interna, a par do acesso a serviços e benefícios com empresas e instituições parceiras do CSVH”.

Respostas sociais

Centro Social Vale do Homem
O Centro Social do Vale do Homem desenvolve-se a partir de um ‘berço’ especial. Foi em Lanhas, Vila Verde, que a instituição sustentou o impulso para a intervenção social. O edifício-sede alberga o Lar residencial para pessoas idosas (ERPI) com 40 utentes e o serviço de Apoio Domiciliário com 40 utentes, ancorando um conjunto multifacetado de respostas e serviços.

A Horta Social é um bom exemplo da preocupação com que sempre foi encarada a importância de promover a vida ativa dos seniores e incentivar a partilha de saberes e bons costumes entre gerações.

A edificação de um espaço de culto, a implementação de uma área de exterior para a realização de atividades da vida diária e um “parque sénior” com zonas relvadas planas, esplanada, “bio-ginásio” e jardim sensorial fazem parte do esforço permanente em ir para além dos serviços básicos.

Lar das Termas
O Lar das Termas assinala a implantação “física” do Centro Social do Vale do Homem no concelho de Amares, com extensão a Terras de Bouro, como corolário de um processo em crescendo permanente, no que toca à prestação de serviços sociais e também de solidariedade e de saúde no território.

Projetado com um único piso e sem barreiras arquitetónicas, o Lar das Termas está construído para se assemelhar ao ambiente familiar e proporcionar comodidade. Contextualizado por cores suaves, potencia o seu ambiente de tranquilidade e serenidade. Inclui equipamentos termais, como é o caso do Duche Vichy. Disponibiliza uma área exterior igualmente facilitadora de caminhadas, com excelentes espaços verdes, esplanadas, bioginásio e um jardim sensorial.

O Lar das Termas foi pensado e arquitetonicamente construído para que os seus residentes possam usufruir de todos os espaços livremente, sem impedimentos ou barreiras que dificultam a sua deslocação no edifício.
O lar residencial tem 31 utentes e o apoio domiciliário 30 utente.

Casa da Alegria
Distinguida por diferentes prémios promovidos por instituições nacionais e institucionais na área da inovação social, a Casa da Alegria para 50 utentes, está vocacionada para respostas especializadas a Pessoas com Alzheimer ou outras Demências.

Localizada em Lanhas, no concelho de Vila Verde, a Casa da Alegria foi distinguida na área da inovação social e pela pertinência atual, em prémios promovidos pelo BPI Sénior e BPI Rural, pelo Banco BPI e Fundação ‘La Caixa’, pela Caixa Social 2020 e Caixa Geral de Depósitos. Dispõe de Lar residencial e Centro de Dia.

O edifício foi pensado e adaptado a nível estrutural e de equipamentos para as pessoas com Demência e todas as suas diferentes necessidades. Dispõe de quartos sensoriais, com som ambiente e regulador de intensidade de luz. Está equipado com utensílios adaptados à motricidade de cada utente.

Apresenta divisões diferenciadas por cores, utilizando uma tela de cores contrastantes, com ambientes que proporcionam tranquilidade, mas também a estimulação positiva, de acordo com o espetro de cores fortes. Desenvolve a sua intervenção nas terapias não-farmacológicas como o princípio ativo da estimulação do bem-estar, da redução de tristeza e depressão, o controlo da agressividade e da apatia, entre outros.

A potenciar equipamentos de vanguarda técnica, a Cada da Alegria dispõe de uma equipa multidisciplinar, com formação especializada e reconhecida pela Alzheimer Portugal.

Serviço de Apoio ao Domicílio
O Serviço de Apoio ao Domicílio é uma das diferentes respostas sociais do CSVH nos concelhos de Amares, Vila Verde e Terras de Bouro. Com capacidade para 70 utentes, contém um variado leque de serviços: enfermagem e fisioterapia, higiene e conforto pessoal, higiene habitacional, tratamento de roupa, alimentação, animação/socialização, apoio nas atividades de vida diárias, pequenas reparações, acompanhamento ao exterior, barbeiro e ainda o apoio ao Cuidador.

É um serviço ativo ao longo dos 365 dias por ano, com intervenção disponível 12 horas por dia (das 08h00 às 20h00, permitindo um maior acompanhamento e apoio aos mais necessitados.

Felizmente Lar
A concretização do “Felizmente Lar” representa um marco do empreendedorismo e inovação social do Centro Social do Vale do Homem. É a reconhecida sustentabilidade do crescimento da instituição que permite realizar um bom sonho que a comunidade de Gualtar, em Braga, mantinha há mais de 20 anos.

A sua implantação está inserida num trabalho contínuo de envolvimento com as instituições e a sociedade envolvente, nomeadamente a Junta de Freguesia de Gualtar, a Fábrica da Igreja e o Centro Social da Paróquia, o Município de Braga e o CLAS, proporcionado ainda a realização de diversos eventos e iniciativas na área social e da saúde.
Integra três respostas sociais: Estrutura Residencial para Pessoas Idosas (ERPI), Serviço de Apoio Domiciliário e Centro de Dia.

O Lar residencial para idosos inclui uma área especialmente destinada às demências, de forma a responder a um problema que infelizmente tem vindo a afetar um número cada vez mais significativo de cidadãos.

Os espaços e recursos do Felizmente Lar estão projetados para permitirem que cada utente seja acolhido numa perspetiva holística, desde as dimensões psicológicas, físicas e funcionais às incidências sociofamiliares. Conta com recursos como Piscina Ativa e um Ginásio, a par de um Jardim Sensorial, dotado de um conjunto de aparelhos de ginástica geriátrica, projetados para manter e melhorar as amplitudes articulares, força muscular, equilíbrio e a marcha.

O Felizmente Lar disponibilizará ainda serviços de cabeleireiro, um Rooftop com Esplanada e Barbecue para a socialização entre pares, amigos e familiares. Está ainda projetado um Baloiço Panorâmico sobre o Bom Jesus do Monte, adequado a favorecer o relaxamento.

Com abertura prevista para a Primavera de 2022, terá capacidade para 48 utentes em Lar/ERPI e o centro de dia terá 35 utentes. Com um investimento de três milhões de euros, o Felizmente Lar terá ainda apoio ao domicílio para 50 utentes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *