O “luxo” de viver sozinho: arrendar um estúdio custa o dobro de um quarto

Arrendar um estúdio ou um quarto numa casa partilhada é um dos dilemas enfrentados por muitas pessoas. As diferenças económicas entre os dois são bastante significativas sendo que a privacidade de um estúdio acaba por sair duas vezes mais cara.

Segundo um estudo realizado pelo idealista, a renda média de um quarto em Portugal no mês de outubro situava-se nos 310 euros, face aos 625 euros necessários para arrendar um estúdio, ou seja, 102% mais caro. Ambos os produtos imobiliários ficaram mais caros nos últimos três anos, embora o crescimento tenha sido mais intenso no caso dos quartos (que ficaram 32% mais caros) do que nos estúdios (com um aumento de 14%).

A maior diferença de preço entre quartos e estúdios é no Funchal, onde os estúdios são 160% mais caros. Segue-se Faro (125% mais caro), Santarém (123%), Castelo Branco (100%), Setúbal (93%), Vila Real (92%), Aveiro (92%), Lisboa (86%) e Braga (82%). As menores diferenças de preço encontram-se em Coimbra (os estúdios são apenas 33% mais caros que os quartos), Porto (63%) e Leiria (65%).

Os quartos e os estúdios não são uma tipologia comum em muitas capitais de distrito portuguesas e, por isso, não foi possível obter dados estatisticamente fiáveis em todas as capitais do país, impossibilitando a comparação das variáveis.

Evolução dos estúdios
Funchal foi onde o preço dos estúdios mais encareceu nos últimos três anos, tendo aumentado 53%, situando o preço médio em 650 euros por mês. Segue-se Aveiro (15%), Vila Real (13%), Coimbra (7%) e Leiria (1%). Por outro lado, Braga é a única capital de distrito onde o preço dos estúdios desceu (-16%). Em Lisboa, Porto e Castelo Branco o preço dos estúdios manteve-se estáveis.

É em Lisboa onde se encontram os estúdios mais caros de Portugal, custando em média 800 euros por mês. Seguem-se Faro (675 euros/mês), Funchal (650 euros/mês), Porto (650 euros/mês), Santarém (580 euros/mês), Setúbal (580 euros/mês), Aveiro (575 euros/mês) e Braga (545 euros/mês). Os estúdios mais baratos encontram-se em Leiria (395 euros/mês), Coimbra (400 euros/mês), Castelo Branco (400 euros/mês) e Vila Real (480 euros/mês).

Evolução dos quartos
A cidade onde o preço dos quartos mais aumentou nos últimos três anos foi Vila Real, com um aumento de 56%. Seguem-se Coimbra (54%), Santarém (53%), Porto (33%), Aveiro (30%), Leiria (30%), Viseu (25%), Guarda (25%), Braga (20%). As menores subidas aconteceram em Bragança (1%), Setúbal (5%), Lisboa (8%) e Castelo Branco (14%). Os preços em Faro mantiveram-se estáveis e no Funchal desceram 17%.

Lisboa é a cidade mais cara para arrendar quarto, custando 430 euros mensais, seguida pelo Porto (400 euros/mês), Coimbra (300 euros/mês), Aveiro (300 euros/mês), Braga (300 euros/mês), Setúbal (300 euros/mês) e Faro (300 euros/mês). Seguem-se Santarém (260 euros/mês), Vila Real (250 euros/mês), Funchal (250 euros/mês) e Leiria (240 euros/mês). Por outro lado, Guarda é a cidade mais barata para arrendar quarto, custando 137 euros/mês, seguida por Bragança (152 euros/mês) e Castelo Branco (200 euros/mês).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.