Praça do Comércio, em Amares, deverá estar concluída em novembro

A Praça do Comércio, em Amares, deverá estar concluída no próximo mês de novembro. A câmara e a empresa responsável pela obra promoveram, esta manhã, uma visita à empreitada para fazerem um ponto da situação. “O prazo de 10 meses era muito ambicioso” reconheceu Fernando Gonçalves da empresa confirmando uma derrapagem temporal de três meses.

E as justificações são duas: a demora no acordo com o proprietário do terreno onde ficará a futura ligação à Avenida de Santo António e a pandemia que “trouxe alguns problemas, nomeadamente, ao nível dos fornecedores”.

Fernando Gonçalves lembrou que “em relação a outros setores, a construção civil conseguiu continuar a trabalhar e por isso, globalmente não sofreu muito com a pandemia”.

O presidente da Câmara, Manuel Moreira, já havia revelado ao ‘Terras do Homem’, a derrapagem de três meses na conclusão dos trabalhos. “Os trabalhos estão a correr bem, dentro da normalidade”, referiu o autarca, esta manhã, lembrando que “a obra foi prometida por todos os presidentes de câmara, mas nenhum a conseguiu concretizar”.

Segundo Moreira, “esta é mais uma promessa que cumprimos porque estava incluída no nosso programa de 2013” e irá “trazer uma nova vida ao comércio e ao centro de Amares. Vamos ter uma entrada no centro de Amares digna e à altura do concelho”.

Esplanadas em julho

A visita serviu ainda para o autarca confirmar que “em meados de julho, o empreiteiro disse-nos que uma parte da praça, até aos correios, estaria pronta para instalar as esplanadas”.

Quando estiver concluída, a praça irá albergar cinco esplanadas espalhadas por toda a área que será dividida em duas partes: uma ao nível da galeria de artes e outra no nível inferior ligadas por rampas e escadas.

Na parte superior, para além, de espaços verdes ficarão, ainda, os acessos ao parque de estacionamento subterrâneo que será intervencionado, a galeria de artes, um quiosque e casas de banho públicas.

Para a parte inferior ficarão o parque infantil e um pequeno anfiteatro ao ar livre, bem como mais zonas verdes.

Mobilidade

O autarca revelou, ainda, que no início do ano irá avançar uma candidatura para a mobilidade urbana que ligará as escolas e o centro de saúde ao centro de Ferreiros. “Será um percurso pedonal e ciclável e em segurança”.

A requalificação da Praça do Comércio custará à volta de 3,4 milhões de euros.

Partilhar esta notícia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *