Guerra aberta entre a câmara de Amares e a Misericórdia com autarca a acusar provedor de “mentiroso”

Mentiroso. É assim que o presidente da Câmara de Amares reage a uma entrevista dada pelo Provedor da Misericórdia a um jornal local. Álvaro Silva disse que, desde 2015, a autarquia não dá um tostão à instituição e Manuel Moreira, ao ‘Terras do Homem’, diz que o Provedor “é mentiroso” e explica porquê.

“A Câmara está a pagar 10 mil euros por ano de um empréstimo de 100 mil que a Misericórdia fez. Fizemos o projeto para o lar de borla, pagamos a cobertura e a pintura do jardim de infância, fizemos o saneamento, cortamos a relva e vários trabalhos elétricos. Se isto, não é apoiar a Misericórdia não sei o que é!”.

O autarca parte depois para o ataque: “esta direção da Misericórdia é uma célula do PS que nunca ‘engoliu’ a minha saída do partido. Não é por acaso que o provedor refere o ano de 2015, foi quando eu mudei para o PSD”.

Segundo Moreira, Álvaro Silva “está a criar guerras com toda a gente quando a Misericórdia deveria ser parceira com as associações e empresas do concelho”. E continua: “ele que gira e bem a Misericórdia com o dinheiro deles mas não queira é gerir a Misericórdia com o dinheiro da Câmara”.

Voltando à questão política, Manuel Moreira diz que a tal ‘célula do PS’ está “a jogar politicamente usando a Misericórdia que não pode ser uma instituição partidária, tem que ficar fora disso, fazer o trabalho para o qual está mandatada e usando o seu orçamento e não o da Câmara”.

Acusando o provedor de “não ser sério”, o autarca não descarta a possibilidade de ‘cortar’ relações com a Misericórdia: “daqui para a frente é que vão ter razões de queixa”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *