Alunos de Mecatrónica Automóvel da EPATV “não ficaram para trás”

As Provas de Aptidão Profissional (PAP’s) do Curso Técnico de Mecatrónica Automóvel da Escola protagonizadas por 18 finalistas, foram a prova de que “ninguém fica para trás” na Escola Profissional Amar Terra Verde (EPATV), com empregabilidade quase total ou prosseguimento de estudos superiores.

Esta foi a convicção manifestada pelo Diretor do Curso, no final das PAP’s, mostrando-se “surpreendido com o elevado nível de alguns alunos com Necessidades Educativas Especiais. Eu não esperava tanto deles, mas eles superaram-se. Sou um professor muito feliz ao olhar para o trajeto que eles percorreram ao longo destes três anos”.

Os 18 finalistas prestaram provas práticas perante um júri constituído por Sandra Monteiro (Diretora Pedagógica da EPATV), Adelino Costa (Diretor do Curso), Anabela Silva (Diretora de Turma), Clara Sousa (Professora corretora) e Paulo Amorim (Sindicato dos Trabalhadores Indústrias Transformadoras, Energia e Atividades Ambientais do Norte —SITE Norte).

A Aplicação de Sistemas de Ignição numa viatura foi desenvolvida por Adelino Cunha, Roberto Freitas, Ricardo Vieira e Carlos Sousa enquanto uma tripla de Tiagos (Barreiras, Oliveira e Rocha) construiu uma Bancada Didática de simulação de sinais elétricos de uma unidade de gestão de um motor, uma área nova na mecânica automóvel, nascida em 1978.

A elaboração de uma Unidade de Comando Elétrico para um BMW 323i foi a “prenda” que Bruno Meireles, Domingos Caridade e Gonçalo Palmeira trouxeram para a sala enquanto Miguel Igreja, Miguel Rego, José Pereira e José Sousa se ocuparam com um Sistema de travagem de um BMW 323i.

Uma Injeção a gasolina com alimentação multiponto foi o tema desenvolvido por Alberto Xavier e António Rodrigues, seguindo-se a apresentação de um Sistema de sobrealimentação — aplicação de um turbo num motor atmosférico — foi estruturado por Ângelo Teixeira, Rui Silva e Nélson Gomes.

No final da prova, o Diretor do Curso desafiou os seus finalistas a continuarem a ser curiosos, a querer fazer, a tomar a iniciativa porque este curso “é a base. Se querem evoluir, atualizem-se porque esta área está em evolução rápida. Não vos deixeis ficar para trás, mas tomai a iniciativa”.

Partilhar esta notícia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *