NASA está a rastrear a estranha ‘amolgadela’ no campo magnético da Terra

Cientistas da agência espacial norte-americana (NASA) estão a rastrear a estranha “amolgadela” no campo magnético da Terra, que se move lentamente para oeste sobre a América do Sul e o sul do Oceano Atlântico.

Esta depressão, batizada de Anomalia do Atlântico Sul (SAA, na sua sigla em inglês), é já conhecida dos cientistas, tal como frisa o portal Futurism.

Trata-se de uma área caracterizada por uma redução significativa na força do campo magnético da Terra em comparação com áreas em latitudes geográficas semelhantes.

Neste local, a proteção contra radiação nociva do Espaço, que é garantida pelo campo magnético do nosso planeta, é bastante menor.

Agora, a agência espacial norte-americana está a investigar o movimento desta depressão, que se move para oeste, numa divisão uniforme em dois lobos, tal como descreve a NASA em comunicado de imprensa esta semana divulgado.

Os cientistas acreditam que a “amolgadela” é causada por violentas tempestades solares que deformam os “cinturões de Van Allen”, duas zonas em forma de donut que envolvem a Terra e capturam as partículas carregadas e nocivas do Espaço.

“Um campo localizado com polaridade invertida cresce fortemente na região SAA, tonando a intensidade do campo muito fraca, mais fraca do que a das regiões vizinhas”, explicou em comunicado Weijia Kuang, geofísica e matemática do Goddard Space Flight Center.

O enfraquecimento do campo nesta região pode levar, na pior das hipóteses, à destruição de satélites e é por estes mesmo motivo que a NASA acompanha de perto a depressão.

“Embora [o movimento do SAA] seja lento, este está a passar por algumas mudanças na sua morfologia e por isso é importante que o continuaremos a observar através de missões contínuas”, completou Terry Sabaka, geofísico do Goddard Space Flight Center.

“E isso ajuda-nos a fazer modelos e previsões“, rematou.

ZAP //

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *