Presidente da República visita Gerês nos 50 anos do Parque Nacional (vídeo)

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e o ministro do Ambiente e da Ação Climática, João Pedro Matos Fernandes, enalteceram todo o trabalho dos guardas florestais e vigilantes da natureza, no Parque Nacional da Peneda-Gerês, no decorrer das comemorações do 50º aniversário do único território português com um estatuto nacional.

Depois do ministro do Ambiente e da Ação Climática ter destacado o trabalho dos profissionais durante o ano de 2016, quando arderam cerca de dez por cento da área total do Parque Nacional da Peneda-Gerês, foi a vez do Presidente da República ter feito questão de cumprimentar, um a um, dezenas de guardas florestais e vigilantes da natureza.

Dirigindo-se às dezenas de profissionais ali perfilados, o Presidente da República afirmou que “vocês estão permanentemente no parque nacional, ficam cá mesmo quando os outros vão embora, a vossa responsabilidade aqui é enorme, a nossa gratidão também é enorme”.

Marcelo Rebelo de Sousa disse “não ser possível enfrentarmos uma pandemia e uma crise económica e social sem o fazer olhando para a dimensão ambiental, não sendo possível olhar para a pandemia se não de uma perspetiva da importância do ambiente, dos seus ecossistemas, da ação climática, da natureza e da sua relação com o humano, porque não será possível atravessar uma crise económica e social se não de uma forma sustentável”.

O ministro, João Pedro Matos Fernandes, recordou a recente contratação definitiva dos cerca de 50 novos guardas florestais.

O governante não poupou nas palavras quando elogiou o trabalho daqueles profissionais do terreno, referindo que “não sendo bombeiros, são os primeiros a chegar e os últimos a sair, quando há incêndios florestais, muitos dos quais são logo debelados pelos próprios, chegando a zonas onde só por via terrestre e com meios manuais conseguem fazer tal trabalho, para além das tarefas, durante todo o ano”.

A ação teve lugar na Portela de Leonte, freguesia de Campo do Gerês, após assinatura do protocolo de cogestão do Parque Nacional da Peneda-Gerês, entre o Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), o Fundo Ambiental e a ADERE-Peneda Gerês, organização que desenvolve a sua atividade nos municípios integrantes deste território.

Arcos de Valdevez, Melgaço, Montalegre, Ponte da Barca e Terras de Bouro vai gerir o parque num modelo de cogestão que integra também uma instituição de ensino superior, uma associação de defesa do ambiente e outros atores de relevância local.

O protocolo prevê uma verba de 100 mil euros, a ser aplicada durante 36 meses, para apoio técnico e operacional e atividades prioritárias de promoção da cogestão da área protegida.

Na cerimónia ao ar livre da Portela de Leonte, em plena Mata de Albergaria, foi largada uma águia cobreira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *