Amares procura classificar Peregrinação de Nossa Senhora da Abadia como interesse municipal

Depois de ter proposto a Laranja de Amares para ser classificada como património vegetal de interesse municipal, a Câmara Municipal de Amares vai levar, também, à próxima Assembleia Municipal uma proposta para reconhecer a Peregrinação de Nossa Senhora da Abadia como um evento cultural imaterial de relevância municipal, a fim de poder ser classificada como interesse municipal.

“Este é um evento público concelhio muito específico, com cerca de 45 anos, que ultrapassa mesmo as marcas da religiosidade e se torna uma marca importante do concelho de Amares. Pela carga cultural que a peregrinação tem e ainda pelo que ela representa de entrega e partilha de um povo e de um concelho que ali se une imbuído do seu espirito de fé, mas também de mostra do seu espirito de comunidade, apresentámos uma proposta, já aprovada em reunião de câmara, para que a Peregrinação de Nossa Senhora da Abadia, fosse aprovada como evento cultural imaterial de relevância municipal, a fim de poder ser classificada como interesse municipal”, referiu o vice-presidente e vereador da Cultura do Município de Amares, Isidro Araújo.

Peregrinação reúne 24 freguesias anualmente
O Mosteiro de Nª Sª da Abadia, considerado, o mais antigo Santuário Mariano da Península Ibérica, é hoje centro de uma das mais simbólicas peregrinações do concelho de Amares e do Minho, que se realiza anualmente no último domingo do mês de maio.

Esta peregrinação que parte da Igreja/ Mosteiro de Santa maria de Bouro e sobe a encosta da Abadia até ao Santuário, num percurso de cerca de quatro quilómetros, é realizada pelo arciprestado de Amares que ali coloca cada uma das vinte quatro freguesias do concelho numa representação de fé, transportando etapa a etapa o andor da Senhora da Abadia durante todo o percurso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *