Amares planeia plano de ação para recolha e valorização dos biorresíduos

A Câmara Municipal de Amares viu aprovada uma candidatura ao “Programa de Apoio à Elaboração de Estudos Municipais para o desenvolvimento de Sistemas de Recolha de Biorresíduos” do Fundo Ambiental.

“As políticas ambientais assumem hoje um protagonismo enorme na forma como pensamos o território. A aprovação desta candidatura vai dotar o município com um plano de ação que nos permitirá definir a estratégia para os biorresíduos, uma área que precisamos de trabalhar tendo em vista uma maior diferenciação dos resíduos produzidos”, refere o presidente do Município de Amares, Manuel Moreira. “Temos de perceber como podemos recolher e tratar lixo biológico de forma diferenciada, para que não vá tudo parar ao mesmo contentor. Este estudo será fundamental para sustentar próximas candidaturas nesta área”, conclui.

Segundo a Diretiva (UE) 2018/851 do Parlamento Europeu, Portugal está obrigado a implementar um sistema de separação e reciclagem dos biorresíduos até final de 2023.

Para o vereador do Ambiente, Vítor Ribeiro, esta é uma “ótima” notícia para Amares pois “permite-nos antecipar esta obrigação e preparar o nosso plano de ação, promovendo a valorização dos resíduos orgânicos, a economia circular e a defesa do ambiente”. “Este é já o quarto financiamento apoiado pelo fundo ambiental para o município de Amares, depois dos centro de educação para a economia circular, Urjalândia e Ecocanil, e das viaturas elétricas”, acrescenta.

A aprovação da candidatura vai permitir ao Município de Amares financiar integralmente o estudo que iniciará ainda no decorrer deste mês. Este estudo visa elaborar um plano de ação para operacionalizar a recolha de biorresíduos, no concelho, levando à sua valorização, através da implementação de uma rede de recolha seletiva de biorresíduos e a criação de sistemas de compostagem doméstica e/ou comunitária.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *