Portugal reporta mais 575 casos e 11 mortes

Portugal diagnosticou, nas últimas 24 horas, mais 575 contágios pelo novo coronavírus e 11 mortes relacionadas com a Covid-19, indica o relatório divulgado esta quarta-feira.

Os dados de hoje representam um aumento de 0,07% quer no número de infeções quer no número de mortes. No total, desde o início da pandemia, o país confirmou 818787 casos da doença e 16805 óbitos.

De acordo com o relatório da DGS, a incidência baixou. Em Portugal situa-se nos 77,6 casos (por 100 mil habitantes), sendo que no continente é de 67,7casos. Já a o Rt, que não deve ultrapassar o valor de 1, encontra-se agora nos 0,91 (o que significa um aumento face aos dados de ontem, dia em que esse valor era de 0,89).

O número de internados continua a descer, fixando-se agora nos 712 (-31 face ao dia anterior). Nos Cuidados Intensivos estão agora 155 doentes, menos quatro relativamente à véspera.

O boletim desta quarta-feira informa que, no último dia, mais 752 recuperaram, fazendo aumentar o total para 769838. Os casos ativos desceram para os 32144 (-188 do que na terça-feira).

Por regiões, Lisboa e Vale do Tejo reportou 262 contágios e seis mortes, o Norte 142 infetados e uma morte e o Centro 68 casos e quatro óbitos. Sem registo de óbitos relacionados com a Covid-19, o Alentejo e o Algarve reportam seis e 53 novos contágios, respetivamente.

Nas regiões autónomas, onde também não há reporte de mortes devido à Covid-19, foram diagnosticados, na Madeira, 39 novas infeções e nos Açores cinco.

“É muito importante manter todas as cautelas”
O primeiro-ministro, sublinhe-se, alertou que, apesar de a situação epidemiológica se manter estável com a redução do número de casos de Covid-19, o risco efetivo de transmissão está a aumentar. Por isso, e “não obstante o desconfinamento em curso, é muito importante manter todas as cautelas e aplicar as medidas de prevenção”.

Já no domingo António Costa tinha advertido que o futuro em termos de desconfinamento depende da forma como os cidadãos gerirem as próximas semanas e que esta não á altura para “facilitismos” em relação à Covid-19.

“Não é altura de facilitismos ou de andar a dizer que o sol está maravilhoso e vamos todos aproveitá-lo, porque o vírus continua a andar por aí”, avisou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *