Comprimido da Pfizer para curar covid-19 pode chegar aos EUA no final do ano

A Pfizer está a desenvolver um comprimido para tratar a infeção por covid-19 e pode começar a comercializá-lo já no final deste ano nos Estados Unidos.

O medicamento deverá ser tomado assim que a pessoa começar a sentir os primeiros sintomas da doença e deverá ser de toma única.

Ainda não há referência à eventual comercialização do comprimido na Europa. O medicamento ainda tem de ser aprovado pela Food and Drug Administration (FDA).

O fármaco faz parte de uma classe chamada “inibidores da protéase” — que são usados noutros vírus, como o VIH e a hepatite C — e funciona inibindo a ação de uma enzima que o vírus usa para se replicar em células humanas, explica o Público.

A empresa está a terminar agora a primeira fase do ensaio clínico do medicamento, que começou em março. O anúncio foi feito por Albert Bourl, CEO da Pfizer, em declarações à CNBC.

Os investigadores esperam que o medicamento impeça o progresso da doença e também seja capaz de evitar os internamentos.

A empresa está também a testar a vacina em crianças entre os seis meses e os 11 anos, considerando crucial vacinar as crianças para pôr um ponto final na pandemia.

“No início deste mês, a empresa pediu à FDA que alargasse a sua autorização de vacinação a adolescentes com idades compreendidas entre os 12 e os 15 anos após a vacina ter sido considerada 100% eficaz num ensaio”, anunciou a farmacêutica.

A Roche e a AstraZeneca também estão a testar antivíricos em forma de comprimidos. O molnupiravir, da Merck e da Ridgeback Biotherapeutics, já mostrou resultados encorajantes em formas ligeiras da doença. No entanto, não se mostrou eficaz em doentes hospitalizados.

Daniel Costa, ZAP //

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.