Descoberto segredo dos lagartos que respiram debaixo de água

Uma equipa de cientistas da Universidade de Toronto, no Canadá, mostrou que os lagartos Anolis são capazes de respirar debaixo de água com a ajuda de uma bolha presa nos seus focinhos.

Alguns lagartos do género Anolis são semi-aquáticos e conseguem respirar debaixo de água, utilizando as suas impressionantes habilidades de mergulho como mecanismo de defesa para evitar predadores. Um novo estudo explicou, recentemente, o mecanismo.

De acordo com o IFL Science, estes répteis têm uma pele hidrofóbica – repele a água – que os ajuda a proteger da chuva e de parasitas. No que toca ao mergulho, esta característica também permite que uma bolha de ar exalado cresça na pele acima das suas narinas quando entram na água.

A equipa da Universidade de Toronto verificou que os lagartos são capazes de respirar o oxigénio do interior da bolha, conseguindo ficar debaixo de água durante 18 minutos. Esta capacidade, conhecida como “reinalação“, permite aos animais escaparem dos predadores terrestres.

Os cientistas confirmaram que estes lagartos usam uma técnica de respiração subaquática que, até agora, só foi observada em artrópodes. Além disso, descobriram que é uma característica comum a todas as seis espécies de Anolis analisadas.

A chave para a reinalação não é o mergulho, mas provavelmente a estrutura hidrofóbica da pele. Ser capaz de permanecer submerso durante muito tempo foi uma vantagem para a sobrevivência destes animais, já que os predadores podem ficar entediados e seguir o seu caminho, em vez de esperarem que o oxigénio da bolha se esgote.

Esta descoberta tem valor científico para os biólogos evolucionistas, mas é possível que os mecanismos que sustentam este comportamento de reinalação possam ser aproveitados para inovações humanas, como o aparelho de mergulho.

O artigo científico foi publicado a 12 de maio na Current Biology.

Liliana Malainho, ZAP //

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *