Ana Luísa Amaral vence prémio literário Sá de Miranda em Amares

‘Ágora’ da poetisa Ana Luísa Amaral foi o grande vencedor do prémio literário Sá de Miranda organizado pela câmara de Amares e que premeia obras poéticas editadas nos dois últimos anos. A segunda edição teve 202 participantes, mas os três elementos do júri renderam-se à “sensibilidade poética” e a uma linguagem “pouco menos do que perfeita”. O presidente do júri, Sérgio Guimarães elogiou uma obra que “revisita a bíblia através de grandes obras de pinturas” a que a autora associou poemas.

Há ainda uma dimensão atual, já que o livro termina com uma evocação aos refugiados. Editado em 2019, Ana Luísa Amaral sempre teve Sá de Miranda como um dos seus autores de referência. O prémio de 7500 euros será entregue no decorrer do mês de julho.

O presidente da câmara, Manuel Moreira, saudou o crescimento de participantes da primeira para a sua edição, o que reforçou uma personagem que está cá sepultada, como é o caso de Sá de Miranda. O autarca prometeu, caso seja reeleito, continuar com este prémio que é de Amares.

Das 202 obras a concursos, houve participantes de Portugal, Brasil e pela primeira vez, de Angola, o que dá “uma dimensão lusófona” ao prémio, referiu Sérgio Guimarães. Cerca de 50 obras ficaram retidas na alfândega e não foram incluídas a tempo desta edição que tem como uma das particularidades, admitir, apenas, publicações editadas nos dois anos anteriores à data do prémio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *