Ação social e saúde marcam visita da Ministra da Coesão Social a Vila Verde

A Ministra da Coesão Social, Ana Abrunhosa, passou a manhã na zona Norte do concelho de Vila Verde em inaugurações e lançamento de uma primeira pedra. A governante mostrou-se “surpreendida pela vitalidade de Vila Verde” e destacou “as intervenções feitas para as pessoas do território e que promovem a coesão dentro do Município”.

Uma das particularidades da visita prende-se com o facto de três das infraestruturas visitadas serem antigas escolas recuperadas e transformadas para outros serviços. A primeira paragem é um caso paradigmático disso: a antiga escola de Covas, no Vade, foi requalificada e cedida ao Centro Social e Paroquial de Covas.

Com apoio domiciliário incluído, a obra custou 450 mil euros. O arcebispo de Braga, D. Jorge Ortiga, marcou presença na iniciativa e aproveitou para lembrar “a atitude de gratuidade” da área social, e dos locais como o Centro Social onde “os mais idosos encontrar a paz”.

Casas que para além de uma alimentação e conforto “paz, tranquilidade, algo que procuram sem o saber”. Citando o Papa Francisco sobre a “necessidade de se construir uma sociedade alicerçada em direitos e pessoas onde todos somos famílias uns dos outros”.

D. Jorge Ortiga não perdeu a oportunidade para reivindicar mais apoios para a área social, “onde a igreja tem um papel muito importante”. Para o arcebispo “a igreja não é igreja se não se comprometer com a Humanidade”, justificando, assim, a vertente social muito enraizada na igreja. “Temos a vida muito complicada, com as exigências da Segurança Social a serem cada vez maiores, as comparticipações muito limitadas e é preciso fazer muita ginástica financeira”.

O arcebispo lançou um apelo: “é preciso falar disso“.

Unidade de Saúde do Vade
A próxima paragem foi na Unidade de Saúde do Vade, a funcionar há seis meses, e cujo investimento de 300 mil euros foi da autarquia com financiamento através do PARU. D. Jorge Ortiga saudou “o empenho dos médicos e dos enfermeiros que procuram empenhar-se em termos humanos e de acolhimento. Há doentes que se curam só com uma palavra e com o coração de quem acolhe”.

O presidente da União de Freguesias do Vade, Carlos Cação, manifestou a sua “satisfação pela inauguração destes investimentos, importantes para a saúde e apoio social. E são também importantes para a coesão, para este território do Vade, e também para melhorar a coesão no concelho de Vila Verde”.

Para o autarca, as duas obras “só foram possíveis porque temos no Vade uma população e uma dinâmica social forte, que não vira a cara às dificuldades, que se une e se motiva por causas, pela luta para tornar sempre melhor a vida neste território”.

Pico de Regalados
Em Pico de Regalados, Ana Abrunhosa, lançou a primeira pedra da requalificação da Unidade de Saúde local e inaugurou o Espaço Cidadão. O primeiro é um investimento de 730 mil euros, metade do qual saído dos cofres da autarquia, e que o presidente da União de Freguesias, César Cerqueira, saudou: “há mais de uma década que esta era uma obra reivindicada, num edifício com 35 anos, sem as melhores condições”.

A unidade de saúde vai ser ampliar para o edifício da Junta e todos esperam que em breve se possa transformar numa Unidade de Saúde Familiar: “servimos quatro mil utentes e teremos uma melhor resposta em termos médicos e de conforto”, justificou César Cerqueira. Para esta intervenção, a unidade de saúde foi deslocada para o jardim de infância e as crianças passaram para o Centro Escolar.

Já o presidente da câmara de Vila Verde frisou o investimento municipal feito nas quatro intervenções: “estamos a promover a coesão social no concelho e para isso, temos que aproximar os serviços das pessoas para que se sintam olhadas pelo poder, ao mesmo tempo, que criamos condições para se fixarem e aqueles que saíram voltarem.

Em resumo, segundo o autarca dos seis centros de saúde existentes no concelho e totalmente requalificados, quatro foram-no pelo Município. O parque escolar estar completamente renovado e há seis espaços cidadão espalhados pelo território.

Ministra
Ana Abrunhosa deu os quatro exemplos como “um sinal da evolução dos tempos. Antigas escolas transformadas de acordo com aquilo que as pessoas necessitam”. Para a governante “não vale a pena falar de turismo, ou atrair empresas para os territórios se não tivermos serviços públicos de proximidade”.

Com muito dinheiro de fundos em perspetiva, a governante disse que “estamos a trabalhar para que os projetos se concretizem e mal da vida se os Municípios não fossem para beneficiados. Não é preciso estar o nome dos Municípios nos projetos para as obras se fazerem”.

Ministra que foi agraciada com vários presentes identitários de Vila Verde: “uma boneca namoradeira, um Santo António pintado com os motivos dos lenços dos namorados, um tabuleiro em madeira e loiça e um cabaz com produtos premiados do concelho.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *