Comissão quer nome de Variações em rua de Braga

A Comissão Promotora de Homenagem a António Variações (2018-2021) veio a público apelar à inclusão do nome do poeta e cantor, recentemente agraciado com o grau de Comendador da Ordem do Infante D. Henrique, na toponímia do concelho de Braga.

“É nosso entendimento que estão criadas as condições para a concretização dessa pretensão justa. A CPHAV (2018-2021) tem concluída uma proposta que irá remeter aos candidatos, constituída por textos de fundamentação, fotografias, fontes bibliográficas nacionais e internacionais e testemunhos dos irmãos Luís e Jaime Ribeiro”, refere a Comissão Promotora em comunicado.

O cidadão nascido no Lugar do Pilar (Fiscal) em 1944 tem o seu nome associado à cidade de Braga como o comprovam os estudos académicos existentes e, mais recentemente, uma dissertação de mestrado intitulada António Antes de Variações: o percurso inicial do cantor, constituída por 533 páginas e da autoria do Professor Luís Carlos S. Branco, da Universidade de Aveiro.

“É quase obrigatório uma menção a Braga quando se aborda a vida e obra de António Variações, o qual em menino visitava o Bom Jesus do Monte, com os seus pais e irmãos, vindo a cumprir o serviço militar na cidade e ser terra de partida e chegada das suas viagens”.

A Estação de Caminhos de Ferro de Braga, a Sé Catedral, a Avenida Central, a Avenida da Liberdade fizeram parte do imaginário do cantautor, frequentando ainda algumas pastelarias icónicas e sendo um observador atento da arte da cidade, das suas festividades e das suas tradições. Foi também um ser crítico como atesta o poema original ‘Ao Passar Por Braga Abaixo’, na qual se refere à pobreza observada nas pessoas que acorriam à festividade do São João de Braga.

Inclusive um dos livros mais volumosos sobre o poeta tem por título ‘António Variações – Entre Braga e Nova Iorque’, de Manuela Gonzaga, não esquecendo o CD ‘A história de António Variações – entre Braga e Nova Iorque’.

“De referir que o menino do Lugar do Monte – Carrazedo (Amares) cresceu com um deslumbramento mesmo em frente à casa dos seus pais, ou seja, o Santuário do Sameiro, em Braga, conforme se pode ler no livro ‘Toninho, o Fantástico Variações’, de Fabíola Lopes e com ilustrações de Patrícia Ferreira”.

Por isso, em ano de eleições, a comissão veio a público apelar para que os candidatos autárquicos levem em conta esta pretensão, valorizando um “minhoto que não esqueceu as suas raízes”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *