Bloco de Esquerda apresenta, pela primeira vez, candidatura à câmara de Vila Verde

Habitação, transportes e transparência são os três pilares da primeira candidatura do Bloco de Esquerda em Vila Verde às eleições autárquicas. A enfermeira obstetra no Hospital de Braga, Goreti Pimentel, foi o rosto escolhido para encabeçar a candidatura. Da Vila de Prado, a candidata começou por dizer que “a decisão de avançar foi muito refletida e não foi tomada de forma leviana”.

Assumindo a rutura com o “poder instituído” em Vila Verde, “a câmara pertenceu sempre aos mesmos”, Goreti Pimentel considera ser “urgente repor a democracia: as pessoas têm que dizer quem são, a que partido pertencem, sem terem medo das reações ou de perderem o emprego”.

Com o objetivo de eleger vereadores e elementos para a assembleia municipal, a candidatura do Bloco de Esquerda pede “uma boa gestão dos dinheiros públicos, bem empregue em todas as estruturas importantes do concelho, na atividade rural e no apoio à criação de residências para jovens e idosos”. Dinheiro que deve ser usado onde faz falta e “não desviado para amigos ou para projetos sem interesse para a população”.

Para a Assembleia Municipal, o Bloco apresenta o professor de música no Conservatório do Porto, mas residente em Vila Verde há doze anos, Ricardo Cerqueira. O “orgulho” em encabeçar a candidatura esbate-se “com o receio das pessoas em se afirmar de esquerda”. Espera que a Assembleia Municipal possa ser “um local de partilha, com mais transparência” extensível às reuniões do executivo: “têm que ser um espaço mais amplo na discussão das melhores soluções para Vila Verde”.

Os transportes e os engarrafamentos no centro da vila vão merecer uma especial atenção: “é preciso aumentar a oferta pública sem aumentar o trânsito ou a poluição e que sirva verdadeiramente os interesses do concelho”. No saneamento e água pública têm que haver “investimentos profundos”. O estímulo da economia local, a agricultura e a proximidade com os agentes económicos “são importantes”, pretendendo o Bloco organizar iniciativas, “sem o pagamento de taxas” que permitam aos vilaverdenses escoar os seus produtos.

Outra das lacunas apontadas prende-se com a falta de creches públicas: “temos que romper com o monopólio existente”.
A sessão foi apadrinhada pela deputada Alexandra Vieira: “regras na habitação já que o aumento de preços está também a refletir-se em Vila Verde; transportes a funcionar fora do horário escolar que sirvam os interesses da população e a necessidade de transparência para que os vilaverdenses possam dar as suas opiniões sem receio de eventuais consequências para as suas vidas” são as principais ideias de uma candidatura que se quer “à esquerda”.

A acompanhar Goreti Pimentel, vão estar em número dois Ricardo Cerqueira e em três Paula Queirós numa lista totalmente paritária.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *